Pin It button on image hover

O Blog do Bega

Sobral, onde a luz fez a curva.

segunda-feira, 11 de maio de 2015

Isso é que é um “micro” computador


     Quando se fala em computador barato, ninguém pensa em algo por menos de R$ 30. Mas essa é a proposta do CHIP, que alega ser o primeiro computador de US$ 9 do mundo (cerca de R$ 27). Menor que uma banana, o pequeno dispositivo pode navegar na internet, rodar games, executar músicas e operar programas de escritório, assim como nossos desktops usuais.
     O CHIP pode ser conectado a qualquer monitor, tanto VGA quanto HDMI. Para usá-lo, basta ligar a tela e o dispositivo de entrada. Ele roda sistema operacional próprio, de código aberto, baseado em Debian GNU/Linux. A interface gráfica é fácil de usar e se assemelha com Windows e Linux, o que torna o minúsculo computador familiar.
   Ele vem equipado com processador de 1 GHz, 512 MB de RAM e 4 GB de armazenamento. A navegação pela web é feita via Wi-Fi, havendo ainda conectividade Bluetooth 4.0. O CHIP suporta sensor de câmera e tela de LCD de forma nativa, vindo instalado com programas open source como GIMP, LibreOffice e VLC.
     Mas não só o software tem código aberto, o hardware também tem. Todos os arquivos de projetos, layout PCB (placa de circuito impresso) e listas de materiais estão disponíveis gratuitamente para download na comunidade criada pela Next Thing, empresa desenvolvedora.
    A companhia criou o PocketCHIP, componente que transforma o CHIP em um computador portátil. Ele possui tela touch de 4,3 polegadas (470 x 272 pixels), teclado QWERTY e bateria com autonomia de 5 horas. Basta encaixar o CHIP dentro da carcaça e ir para qualquer lugar. Quando quiser usá-lo como desktop, é só tirar e conectá-lo ao monitor habitual.
     O eletrônico está sendo vendido por meio de crowdfunding no Kickstarter. Com 29 dias para terminar, a campanha já arrecadou quase o triplo do pedido – as contribuições passam dos US$ 147 mil (R$ 440 mil), apesar de o objetivo ter sido de US$ 50 mil (R$ 150 mil).
     O pacote básico, de US$ 9, inclui um CHIP e um cabo conetor. Ele começará a ser entregue em dezembro e, para o Brasil, há uma taxa de envio de US$ 20 (R$ 60). Os apoiadores têm opções de US$ 24 (R$ 70), US$ 49 (R$ 150), US$ 98 (R$ 300), US$ 150 (R$ 550) e US$ 489 (R$ 1460), cada um com diferentes recomepensas. O mais caro vem com dez 10 unidades do CHIP e 10 do PocketCHIP.
     A particularidade do Kernel Hackers (US$ 150) é que ele é voltado para desenvolvedores de Linux que querem ajudar ativamente no projeto. Ele inclui cinco unidades do CHIP, uma do PocketCHIP e uma versão Alpha do CHIP, para que os programadores possam criar o software.


Postar um comentário