Pin It button on image hover

O Blog do Bega

Sobral, onde a luz fez a curva.

segunda-feira, 31 de março de 2014

Um kit barato para iPhone capaz de realizar exames de vista




     Vocês se lembram do Peek? Esse simpático app desenvolvido para Android pelo Dr. Andrew Bastawrous da Escola de Higiene e Medicina Tropical de Londres nasceu com o intuito de amenizar um problema grave: a precariedade com que médicos trabalham nos recônditos da Terra, incapazes de utilizar equipamentos caros para realizar o mais simples exame de vista, capaz de detectar catarata, glaucoma e outras doenças.
     A solução do Peek é um simples app, utilizando a própria câmera do Android para realizar a varredura do olho e acionando o LED para realizar uma oftalmoscopia (ou exame de fundo de olho). Só que não havia nada semelhante para iPhone até agora, e dois pesquisadores da Universidade de Stanford resolveram isso de outra maneira: desenvolveram dois acessórios infinitas vezes mais baratos do que o maquinário original.
     O professor assistente Dr. Robert Chang e o médico residente Dr. David Myung são os criadores do EyeGo, um conjunto que utiliza componentes simples encontrados em qualquer lugar, e acoplado ao iPhone ou a qualquer outro smartphone permite que o médico faça um scan da superfície do olho do paciente em busca de doenças mais aparentes como a catarata, e com o mesmo princípio do Peek realizar um exame de fundo de olho ao acionar o LED, tornando visível a retina e nervo óptico. Dessa forma é possível identificar doenças como glaucoma, pressão alta e até mesmo diabetes. “Pense num Instagram dos olhos”, disse o Dr. Chang.
     A iniciativa é interessante, pois, diferente do Peek, não estaria limitada à compatibilidade de sistemas operacionais, bastando o médico adquirir o conjunto de lentes. O preço final pretendido é de US$ 90 já que ele utiliza materiais extremamente baratos: durante a prototipagem até peças de LEGO foram empregadas. Tal redução de custo e portabilidade permitiria que um oftalmologista pudesse levá-lo a qualquer lugar e pudesse realizar os exames em qualquer situação, e o acesso aos esquemas do conjunto proporcionaria qualquer um com uma impressora 3D a imprimir seu próprio kit. E aliado às capacidades de qualquer smartphone, compartilhar os resultados preliminares com outros médicos seria muito fácil.

Eu estaciono feito um idiota









Arreios de esperança


    Invenção da mãe que tem um filho em cadeira de rodas, ajuda a ele e outras crianças com deficiência física a andar pela primeira vez.
    Debby Elnatan inventou o “Upsee” para ajudar seu filho, que tem paralisia cerebral.
    Os arreios, amarrados a um adulto, permitem que a criança fique de pé e ande.
    Agora à venda mundialmente via fabricante com sede na Irlanda do Norte.
    Ela projetou um arnês de suporte que permitiria Rotem ficar de pé e, anexando-o a seu pai, deixar pai e filho tomarem decisões em conjunto.



      Depois de uma busca global por uma empresa para produzir em massa o seu "Upsee", a mãe de Israel escolheu a fabricante Leckey, na Irlanda do Norte, que tem um longo histórico de fazer equipamentos para crianças com necessidades especiais.
     Depois de testes bem sucedidos com famílias no Reino Unido, EUA e Canadá, o Firefly Upsee foi lançado para o mundo.
     "É maravilhoso ver este produto disponível para famílias em todo o mundo", disse a Sra. Elnatan, que estava na inauguração oficial da fábrica Leckey, em Lisburn.
     Funcionamento: O cinto prende na cintura de um adulto para segurar a criança na posição vertical. Eles podem andar em sintonia com o seu pai, como demonstrado por Charlotte e Cameron.



     "Quando meu filho tinha dois anos de idade, foi-me dito por profissionais médicos que "ele não sabia para que serviam suas pernas e não tinha consciência delas. "
     "Isso foi uma coisa incrivelmente difícil para uma mãe ouvir. Comecei a levá-lo dia após dia, o que foi uma tarefa muito árdua para nós dois. Fora da minha dor e desespero veio a ideia do Upsee e estou muito contente de vê-lo funcionando.
     O Upsee permite que bebês e crianças pequenas fiquem em pé e executem movimentos curtos e repetitivos com o apoio de um adulto.




     Ele inclui um arnês para a criança, que nada mais é do que cinto usado por um adulto, e sandálias especialmente projetados, que permitem que o pai e a criança deem o passo ao mesmo tempo, deixando as mãos livres para brincar e outras tarefas.
     Designers, engenheiros, especialistas em têxteis e terapeutas da equipe Firefly de Leckey vêm trabalhando no projeto desde 2012.
     Maura McCrystal, mãe de Jack, de cinco anos de idade, de Draperstown na Irlanda do Norte, foi um dos primeiros pais do Reino Unido a usar o produto.
     "O domingo passado foi um dos mais importantes para nós, como uma família, já que foi a primeira vez que o nosso filho Jack foi capaz de jogar futebol no quintal com seu pai, seus irmãos e nosso pequeno cão Milly", disse ela.
     "Ver Jack jogando como qualquer outro menino de cinco anos de idade, emocionou-me. Jack e seus irmãos também gostaram. "



     A gerente de pesquisa clínica e terapeuta ocupacional da Firefly, Clare Canale, disse que o produto poderia ajudar famílias em todo o mundo.
   "Em curto prazo, o Upsee melhora a convivência das crianças com necessidades especiais, inclui a criança na vida da família e melhora a qualidade de vida dos pequenos, além disso, a pesquisa sugere que o invento tem o potencial de ajudar no desenvolvimento físico e emocional, em longo prazo", disse ela.
   "Foi incrível ver o progresso e a felicidade que o Upsee está criando, observando as crianças fazendo coisas simples  pela primeira vez, como chutar uma bola ou brincar com um irmão, é maravilhoso para todos os envolvidos, mas principalmente para as famílias."
     Assista ao vídeo:


Fonte:Dailymail
Faceboo: Dr. Cassio Lopes

domingo, 30 de março de 2014

O melhor da semana no Facebook












Um dinossauro que fazia “co-ró-có-có”


     Sempre temos aquela ideia de que os dinossauros são animais aterrorizantes, com aquela aparência de lagarto gigante e emitindo seus grunhidos por todo o ambiente. Mas pode ser que algumas espécies, ao invés de gritar “RAUR”, poderiam gritar “Có-có”.
     Uma nova espécie de dinossauro foi descoberta com fósseis descobertos na Dakota do Norte e Dakota do Sul (EUA). Segundo paleontologistas, o animal nomeado Anzu wyliei, é um ovorrapitosauro que viveu durante o período Cretáceo, isto é, de 145 a 66 milhões de anos atrás.
    Entretanto, segundo o trabalho publicado, este tipo de dinossauro apresenta características peculiares: eles apresentavam penas e também cérebros do tamanho de pássaros. De maneira divertida, a equipe de paleontólogos nomeou este animal carinhosamente de “Galinha do Inferno”.

sábado, 29 de março de 2014

Sobral ontem e hoje



Conector padrão de smartphone na União Europeia será o micro-USB


   Fabricantes de smartphones serão forçados a usar micro-USB em seus aparelhos na União Europeia em 2017.
     O Parlamento Europeu aprovou quase que por unanimidade (550 votos a favor, 12 contra e 8 abstenções) uma nova lei obrigando fabricantes de smartphones a adotarem o micro-USB como conector padrão em seus smartphones, de modo a diminuir a produção de lixo e evitar que um novo carregador seja sempre embarcado na aquisição de novos gadgets. Na visão da União Europeia, os inúmeros formatos estimulam a produção de lixo tecnológico, algo que ela tenta bravamente eliminar.
     Essa novela vem se arrastando desde 2009 e ainda precisa ser aprovada pelo Conselho de Ministros, mas a previsão é que ela passe sem problema, sendo promulgada em 2016 e os fabricantes teriam até 2017 para se adequarem.


sexta-feira, 28 de março de 2014

Commute Case, uma maleta que vira scooter


   O Commute Case da Green Energy é um conceito de uma pasta que pode ser transformada em uma scooter. A proposta é usar a scooter para fazer o caminho entre a sua casa, escola ou trabalho e o ponto de ônibus ou estação de trem ou metrô, e depois fechá-la em uma pasta para fazer o resto do trajeto.
     Ainda não existem imagens de alguém efetivamente andando na Commute Case, mas se você ficou interessado e acha que pode ser uma opção viável de transporte, pode comprar uma pasta Commute Case com 50% de desconto, por menos de US$ 3 mil.


Sei não, mas... sei lá


Chromecast foi lançado em mais 11 países: ainda não foi a vez do o Brasil


     E a dica dada pela atualização no app oficial do Chromecast estava certa. Através do blog do Chrome o Google confirmou que o seu dongle, item que está fazendo a festa de donos de TVs simples por transformá-las em Smart TVs, está chegando a mais 11 países além dos Estados Unidos.
     Como já estava quase certo, o Reino Unido foi um dos países contemplados, além de Canadá, Dinamarca, Finlândia, França, Alemanha, Itália, Holanda, Noruega, Espanha e Suécia. Como podem perceber, apenas o velho mundo e o Canadá foram contemplados, portanto nada do acessório dar as caras no Brasil, por enquanto. Como era de se esperar, o produto já está disponível na Amazon britânica, canadense e alemã, porém a política permanece a mesma da matriz norte-americana: a loja do Jeff Bezos não envia o dongle para cá. O mais provável é que o Google não deseja que consumidores fora desses países adquiram o Chromecast por via de importação e impôs essa restrição, nos obrigando a esperar o lançamento oficial.
     Pelo menos não é como se estivéssemos completamente no escuro. Ao menos o app oficial funciona por aqui, e se você tiver condições de comprar um fora ou que alguém o mande para cá pelo menos conseguirá usá-lo. Resta saber quando o Google vai lançá-lo por aqui e claro, de quanto será a facada.

quinta-feira, 27 de março de 2014

Aros, o ar condicionado inteligente e conectado


     O Aros é um simpático ar condicionado de 8000 BTUs, mas que além de gelar o seu quarto, também tem alguns truques escondidos na manga. O aparelho conta com conectividade Wi-Fi, botões sensíveis ao toque com sensor capacitivo e uma integração total com o aplicativo Wink para iOS e Android, assim ele pode ligar automaticamente na hora em que você estiver no caminho para casa.
     A proposta é parecida com a do Nest, ao ser sincronizado com seu smartphone, o Aros passa a saber qual é a previsão do tempo, e também consegue “aprender” com os seus hábitos pessoais, para assim tentar manter a temperatura ideal no seu ambiente favorito, enquanto te ajuda a economizar na conta. Por ter um formato diferente, ele também conta suportes nas laterais e na parte de cima, para se adaptar a qualquer janela ou buraco na parede.
     A GE investiu US$ 30 milhões na Quirky no ano passado, mas este é o primeiro produto da parceria que realmente tem potencial para fazer sucesso no mercado, principalmente pelo seu preço de apenas US$ 300 (lá fora). Eu não sei vocês, mas eu fiquei com muita vontade de comprar um destes.

Charme em Preto & Branco








Rosto de paciente foi reconstruído com peças impressas em 3D


     A tecnologia da impressão 3D está ajudando a medicina a dar melhores condições de vida a pacientes desfigurados. É o caso de Stephen Power, que sofreu um acidente grave em 2012.
     Embora estivesse equipado com capacete, o acidente de moto acabou causando severos danos ao seu maxilar, bochechas, nariz e inclusive o crânio. Como resultado, ele acabou ficando desfigurado, e por conta disso começou a evitar lugares públicos.
     Tendo em vista este caso, a equipe médica do Hospital Morriston (Swansea, Reino Unido) resolveu aplicar uma técnica inédita. Para isto, mapearam o crânio de Stephen e desenvolveram implantes e moldes que poderiam ser acoplados aos seus ossos em um processo cirúrgico.
     Com o design pronto, os médicos enviaram o projeto a uma empresa na Alemanha que faz impressões 3D utilizando titânio cirúrgico, que fabricou as peças e as enviou ao hospital. Finalmente, após oito horas de cirurgia, Stephen finalmente teve sua face reconstruída com sucesso.
     O paciente descreveu sua operação como uma mudança radical de vida, e torce para que esta técnica seja aplicada em outros pacientes, dando-lhes uma melhor qualidade de vida. Veja no vídeo abaixo a reportagem da BBC que mostra parte do procedimento operatório (ATENÇÃO: CENAS FORTES).


quarta-feira, 26 de março de 2014

Americanos criam chiclete que combate as cáries


          Ainda não existe chiclete que substitua, ao menos temporariamente, a escovação. Mas isso vai mudar. Depois de 7 anos e 12 milhões de dólares, um laboratório do Exército dos EUA está na fase final de testes de um chiclete que utiliza peptídeos para eliminar organismos bucais nocivos, sendo usado em regiões onde não haja água, ou não seja prático parar para escovar os dentes.
     Parece trivial mas só o Exército gasta US$ 100 milhões anualmente com tratamento dentário.
     O preço de US$ 2,00 por unidade até pode parecer alto, mas lembre-se que o Exército Americano já pagou US$ 998.798,00 de frete na compra de 2 arruelas de US$ 0,19. E ainda pretendem recuperar parte da grana vendendo o chiclete no mercado civil.

Deliciosas pin ups ao leite