Pin It button on image hover

O Blog do Bega

Sobral, onde a luz fez a curva.

sábado, 28 de fevereiro de 2015

Cuba Libre: Netflix enfim chegou à ilha!


     Depois da histórica colher de chá de Obama para Raul Castro, os cubanos podem conferir desde o dia 9 último a programação da Netflix, e finalmente podem assistir a alguma coisa que preste nas suas TVs, incluindo as ótimas séries House of Cards, Marco Polo e Orange is The New Black.
     Piadas à parte, a Netflix fez as honras em espanhol em um tweet, ampliando sua participação na América Latina, que começou em 2011 e já conta com mais de 5 milhões de assinantes, parte significativa de um total de 57 milhões no mundo inteiro.
     O CEO da Netflix Reed Hastings acredita que em breve poderá acrescentar conteúdo produzido na ilha ao repertório da Netflix, elogiando a produção local:
     “Estamos muito felizes por finalmente podermos oferecer a Netflix para o povo cubano, conectando-os com histórias de todo o mundo que eles irão adorar. Cuba tem grandes cineastas e uma cultura e arte robustas, e um dia esperamos poder trazer seus trabalhos para a nossa audiência global.”
     É oficialmente o fim de uma era.

Fonte: Netflix.

sexta-feira, 27 de fevereiro de 2015

Estudante canadense desenvolve creme para remover tatuagens sem dor ou cicatrizes


   As tatuagens são permanentes ou de difícil remoção. Mas agora, pesquisadores desenvolveram creme para remover tatuagens sem dor ou cicatrizes.
     Muita gente tem vontade de fazer uma tatuagem, mas acha muito difícil escolher um desenho, uma vez que aquilo teoricamente vai acompanhar o indivíduo para o resto da vida.
     Caso bata o arrependimento, é necessário passar por processos dolorosos e se arriscar a ter uma bela cicatriz feita a laser.
     Essa história pode mudar em breve caso o estudante canadense Alex Falkenham consiga colocar seu creme removedor de tatuagens no mercado.
     Falkenham tem 27 anos e é um doutorando da Universidade de Dalhousie no Canadá. Ele está fazendo testes com seu creme em porcos tatuados, mas ainda não passou para a fase de testes com humanos. Por isso, não é possível ter uma estimativa exata de quanto tempo será necessário usar o tal creme para se livrar daqueles desenhos malfeitos que você deixou seu amigo amador fazer na sua pele.

Como funciona

     Quando você está sendo tatuado, seu corpo encara a tinta como um elemento intruso que deve ser atacado. Por isso, os macrófagos correm até a área atingida para "comer" a tinta e fazer o corpo eliminar a substância estranha. Acontece que, com o tempo, esses macrófagos “morrem afogados” na tinta e param de agir ali ou continuam o trabalho com muita lentidão. É por isso que toda tatuagem vai perdendo a cor com o tempo, mas ainda assim dura muito.
     O que o creme de Falkenham faz é estimular os macrófagos ativos do corpo da pessoa tatuada a comer os macrófagos afogados em tinta. Com isso, o processo de eliminação da tatuagem retoma o ritmo original e permanece constante enquanto você utilizar o creme de forma localizada.

Sem dor

     O pesquisador garante que não deve haver qualquer tipo de inflamação, dor ou cicatriz proveniente da remoção da tatuagem com seu creme, e esse produto também não será tão caro quanto a remoção a laser de tatuagens. A estimativa é de que cada aplicação para 10 cm² de pele custe algo em torno de C$ 0,45 (R$ 1,02).
   A pesquisa de Falkenham ainda não está completa, e, por isso, não há uma data concreta para a estreia do creme no mercado por enquanto. Apesar disso, ele garante que o produto vai funcionar bem, especialmente em tatuagens com dois anos ou mais.

Sei não, mas... sei lá


Samsung está forçando comerciais em seu streaming

        Esta semana não está sendo muito boa para a Samsung. Depois de vir à tona o fato de que suas Smart TVs estão escutando o usuário o tempo todo, surge mais uma para atormentar seus consumidores: diversas pessoas estão reclamando que a empresa está introduzindo ads no meio de vídeos em canais de streaming, sem o menor pudor.
     As reclamações começaram a pipocar no Reddit: primeiro foram usuários do Plex, que começaram relatar que propagandas da Pepsi apareciam a cada 20 ou 30 minutos, não áudio mas vídeo mesmo, interrompendo o fluxo do filme e/ou série. Consultada, a Plex (cujo app faz streaming de sua mídia em qualquer dispositivo para a sua TV) tirou o seu da reta, dizendo que não sabia de nada a respeito.
     Não demorou muito e o problema se repetiu na Austrália, com usuários do app da TV Foxtel dando de cara com a mesma propaganda. Da mesma forma um representante da empresa disse que “isso não deveria estar acontecendo”, sendo que o problema só acontece com TVs da Samsung e sempre o mesmo ad, da Pepsi.
     Não se sabe se foi algo deliberado, a princípio parece que por ser extremamente localizado, a veiculação do ad pode ter sido um acidente; é provável que alguém tenha ligado uma função no sistema das Smart TVs sem querer, embora não seja tão difícil que isso seja um teste de receptividade do feature.
     Temos que levar em conta que a Samsung está desesperada atrás de formas de monetizar suas Smart TVs, e inserção de ads é uma maneira. A LG faz isso inserindo propagandas no hub de conteúdo, seja através de coleta de dados para oferecer produtos de interesse do consumidor ou não. O grande problema é introduzir propagandas invasivas de uma forma totalmente desagradável e invasiva, o que só ajuda a prejudicar ainda mais a imagem da Samsung que já não anda tão boa.
     Por enquanto o problema está localizado, mas pensando nisso talvez não seja uma boa ideia at all adquirir uma Smart TV da Samsung.

Fonte: GOM.

quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015

7 benefícios da música para a sua saúde


       A música tem um papel enorme na vida das pessoas, tendo até benefícios de saúde. Conheça 7 benefícios de saúde da música.
     A música faz parte da vida de toda a gente, estando associada aos momentos mais alegres e também aos mais tristes. Veja em seguida alguns dos seus benefícios de saúde.

1. Eleva o humor

     Sabe aquela sensação quando a sua música favorita toca? Ele instantaneamente clareia e ilumina o seu humor. A música pode ajudá-lo a aliviar a depressão, criando um efeito terapêutico. A música certa pode colocar a sua mente num estado meditativo. E, claro, a música pode elevar o seu estado de espírito enquanto você estiver dirigindo.

2. Motiva para exercícios

     Há uma razão para as academias usarem constantemente músicas; ela ajuda a dar força para fazer os exercícios físicos. Como sabe, até quem costuma correr está ligado à música, fazendo uso da sua lista de reprodução favorita. Basta colocar os fones no seu ouvido e colocar mãos à obra!

3. Acelera a recuperação

     Os estudos mostraram que ouvir música pós-treino pode acelerar o tempo de recuperação para os músculos. A música também pode ajudar os corpos das pessoas a responder melhor após uma cirurgia de grande porte.

4. Ajuda a dormir

     Tem problemas para dormir porque você está sempre pensando sobre algo? A música calma pode pô-lo para dormir e ajuda-o a dormir mais profundamente. A música é menos cara do que os medicamentos para dormir e não tem efeitos colaterais negativos.

5. Ajuda você a comer menos

     A música durante as refeições pode ajudar a abrandar o seu padrão alimentar. Se você mora sozinho e acaba na frente da TV durante as refeições, tente trocar a música pela TV. Ouvir a música faz perder peso!

6. Reduz o estresse

     Está estressado? Coloque a sua música preferida para tocar. A música alivia o ambiente e faz você se sentir bem melhor e mais calmo. Dance e liberte toda essa ansiedade acumulada.

7. Aumenta o poder do cérebro

     A música de fundo pode melhorar o poder cognitivo, elevando o humor e acalmando-o durante as atividades de alta pressão. Então, crie a sua playlists para a sua vida. Já dizia Platão: "A música dá alma ao universo, asas à mente, voo à imaginação e vida a tudo". 

Charme em Preto & Branco








HTTP/2 já é realidade na Web


     A próxima versão de um dos principais protocolos da web, o HTTP, está um passo mais perto de se tornar realidade. A atualização já foi finalizada como HTTP/2 e agora caminha para ser totalmente normalizada. Quando isso acontecer, essa será a maior atualização do sistema em 16 anos. Conheça mais sobre o protocolo e entenda os benefícios que ele trará, carregando páginas mais rapidamente.
     De acordo com o blog de Mark Nottingham, presidente do IETF HTTP Working Group o padrão foi concluído na última quarta-feira (18) e já está a caminho do Editor de RFC (Request-For-Comments) para passar por processos editoriais, antes de ser publicado como um padrão.
     O protocolo HTTP (Hypertext Transfer Protocol ou Protocolo de Transferência de Hipertexto) é um padrão é um protocolo de comunicação. Ele é a base da a comunicação de dados da World Wide Web e é coordenado pela World Wide Web Consortium e a Internet Engineering Task Force (IETF).
     O HTTP/2 é a próxima grande versão do Protocolo de Transferência de Hipertexto, marcando a maior mudança desde 1999, quando foi adotado o HTTP 1.1, resultado da publicação de uma série de Requests for Comments, mais notavelmente, o RFC 2616. A nova norma traz uma série de benefícios para uma das principais tecnologias da Web, como carregamento de páginas mais rápido, conexões de vida mais longa e servidores push.
     Uma mudança notável é que as solicitações HTTP terão um ‘custo menor’ para serem feitas. Isso é importante porque frequentemente os desenvolvedores evitam adicionar muitas solicitações HTTP em suas páginas, o que leva a técnicas de otimização como código inlining ou concatenação para reduzir as solicitações. Com o HTTP/2, um novo recurso de multiplexação permite que muitas solicitações possam ser entregues ao mesmo tempo, de modo que o carregamento da página não seja bloqueado.
     O HTTP/2 também usa significativamente menos conexões, o que pode resultar em menos carga para servidores e redes.
     O novo padrão HTTP foi baseado no protocolo SPDY do Google, que é usado atualmente para manipular o tráfego, o que melhora a latência e segurança, proporcionando tempos de carregamento de páginas mais rápidos. Confirmando a informação, o Google anunciou poucos dias atrás, que ele planeja migrar completamente para o HTTP/2 no Chrome.
     Para a alegria dos desenvolvedores, o HTTP/2 usa as mesmas APIs HTTP que eles estão familiarizados, juntamente com uma série de novos recursos que eles podem adotar. Os desenvolvedores que quiserem testar o HTTP/2 antes que ele se torne oficial,  já podem fazer isso no Firefox e Chrome, desde que os navegadores sejam usados juntamente com servidores de testes.
     Para os mais ansiosos, a boa noticia é que o tempo entre passagem da norma através do Editor de RFC e a publicação para uso em sua forma final, deverá ser relativamente curto. Que venha o HTTP/2!

Fonte: The Next Web

quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015

A ciência do amor



     O que o significa o amor do ponto de vista biológico e o que a cocaína tem a ver com isso?
     Quando você pensa sobre isso, o conceito de amor está totalmente entrelaçado com a sobrevivência de nossa espécie. Se nenhum de nós sentisse amor a espécie humana iria morrer muito rapidamente.
     Desde o primeiro microorganismo que descobriu como dividir-se em dois seres até aos nossos primeiros ancestrais humanos, todos nós viemos de uma linha longa e ininterrupta de reprodutores de sucesso.
     Mas o amor, é claro, não diz apenas respeito à atração necessária que facilita a reprodução. Ele também desempenha um papel crucial para garantir que os resultados dos nossos pares - ou seja, bebés adoráveis ​​- realmente sobrevivam o tempo suficiente para se reproduzirem também.
     Enquanto o amor é tradicionalmente associado ao coração, o cérebro é, na verdade, o verdadeiro lugar do amor. E, curiosamente, quando os cientistas mapearam o cérebro de pessoas que são recém-apaixonadas e de pessoas viciadas em cocaína, eles não diferem tanto assim.
     A cocaína funciona ao reduzir o limiar necessário para ativar os centros de prazer no cérebro, o que significa que você pode se sentir realmente bem, com mais frequência, e mais facilmente do que quando você não consome. Aparentemente, o mesmo efeito pode ser visto no cérebro de pessoas apaixonadas.
     De fato, as mesmas substâncias químicas no cérebro são ativadas - dopamina e norepinefrina. E esses produtos químicos podem estimular a necessidade ou desejo, para estar com a pessoa que ama cada vez mais. O amor romântico não é simplesmente uma emoção, é uma unidade do motor da mente.

Lugar de mulher é na cozinha





Como criar um Apple ID sem colocar o número do seu cartão de crédito


     
     Com uma conta no iCloud você pode sincronizar seus dados entre os produtos da Apple, armazenar arquivos na nuvem e rastrear um dispositivo perdido. Entretanto, se você não possui um Mac, iPhone ou iPad, poderá usar a suíte iWork para criar e editar documentos, planilhas e apresentações de slides. Veja como criar um Apple ID para usar o iCloud sem um produto da maçã e sem a necessidade de cartão do crédito.

Passo 1. Acesse o site beta do iCloud (beta.icloud.com). Em seguida, clique em “Crie um agora”;

Passo 2. Entre com um endereço de e-mail válido, uma senha com no mínimo oito caracteres, um número e uma letra maiúscula, seu nome completo e data de nascimento;

Passo 3. Logo abaixo, escolha três perguntas secretas e as responda corretamente. As respostas são usadas para verificar a sua identidade e recuperar a senha da sua conta;

Passo 4. Por fim, escolha o país, selecione se deseja ou não receber e-mails com novidades da Apple e ofertas do iTunes e digite o código de verificação. Feito isso, clique em “Continuar”;

Passo 5. Um código de verificação será enviado ao endereço de e-mail cadastrado no segundo passo. Acesse a sua caixa de entrada e entre com o código para confirmar que o endereço de e-mail é seu;

Passo 6. Clique em “Aceitar” para confirmar que está de acordo com os termos e condições de uso do iCloud;

Passo 7. Por fim, caso queira, você pode alterar o idioma da sua conta. Clique em “Comece a usar o iCloud” para finalizar a instalação e acessar a sua conta.

     Pronto! Dessa forma, você poderá criar e usar uma conta Apple sem ter qualquer produto da empresa. Para contas do tipo, o espaço disponível para guardar documentos na nuvem é de 1 GB.

terça-feira, 24 de fevereiro de 2015

Vida marinha pode estar a um passo da extinção


     De acordo com uma nova pesquisa, a vida marinha está perto da extinção em massa, causada pelo impacto do ser humano no mundo.
     Um grupo de cientistas concluiu que os humanos estão prestes a causar um dano sem precedentes aos oceanos e aos animais que vivem neles.
     "Podemos estar sentados à beira do precipício de uma grande extinção", afirmou Douglas McCauley, ecologista da Universidade da Califórnia e autor do estudo, publicado na revista Science a 15 de janeiro.
     Segundo McCauley, ainda há tempo para evitar uma catástrofe maior. Isso porque, comparados com os continentes, os oceanos estão quase intactos.
     "Os impactos estão aumentando, mas não estão tão graves a ponto de não podermos revertê-los", afirmou Martin Pinsky, biólogo marinho da universidade Rutgers e coautor do estudo.
     A pesquisa de McCauley e Pinsky é sem precedentes, pois cruzou dados de diversas fontes, desde relatórios sobre a exploração de combustíveis fosseis até estatísticas sobre remessas de containers, pesca e mineração oceânica.
     Os cientistas detectaram sinais claros que os seres humanos afetaram os oceanos e a vida marinha de forma grave. Enquanto algumas espécies sofrem com a superpopulação, outras estão ameaçadas de extinção, devido à destruição dos seus habitats naturais, geralmente causada pela intervenção humana.
     A população de recifes de corais, por exemplo, diminuiu 40% no século passado, principalmente pelas consequências do aquecimento global.
     Algumas espécies de peixes estão migrando para águas mais frias. Outras espécies, com a locomoção reduzida, não irão conseguir encontrar novos lares. Ao mesmo tempo, as emissões de gases do efeito estufa estão alterando a química da água do mar, tornando-a mais ácida.
     Ainda assim, a pesquisa afirma que há tempo para reduzir os estragos, com a implantação de programas que limitem a exploração dos oceanos.
     Os autores alegam que a limitação da industrialização dos oceanos em algumas regiões permitiria que espécies ameaçadas migrassem para outras partes ainda preservadas. "Acredito que nosso melhor parceiro para salvar o oceano é ele próprio", afirma McCauley.

Beleza rabiscada





Matchstick, o streaming da Mozilla


    Dando uma olhada para as empresas que estão investindo em dispositivos SmartTV, não é difícil pensar que este será o substituto do computador residencial. O Google já investe na plataforma há alguns anos, primeiro com o Google TV, depois com o Chromecast e mais recentemente com o Android TV. Todos os fabricantes estão embarcando algum sistema smart em suas televisões. A Samsung tem até uma plataforma própria, baseada no sistema operacional proprietário Tizen.
      Pensando nisso, a Mozilla resolveu entrar nesta barca também, mas sendo uma empresa que basicamente vive de doações, apelou para o financiamento coletivo. Alguns meses atrás eles incluíram o projeto do Matchstick no Kickstarter solicitando 100 mil dólares. A ideia foi tão bem aceita pela comunidade que no segundo dia do financiamento a meta já estava superada. Ao final do tempo de 1 mês de arrecadação eles conseguiram juntar mais de 470 mil dólares.
     O hardware prometido não é fraco. Memória RAM de 1GB DDR3, ou seja, o dobro do Chromecast. O armazenamento interno é de 4GB, também o dobro dos 2GB do concorrente. A CPU Dual-Core Cortex A9 que devem chegar a 1.6Mhz, também superior ao Marvell Dual-Core DE3005-A1 do Dongle do Google, que chega a 1.2Mhz.
     O envio das unidades estava previsto para ocorrer em fevereiro de 2015, mas com a grande injeção de dinheiro no projeto, eles resolveram revisar e aprimorar vários aspectos do produto. Com isso a nova data para o envio dos equipamentos aos financiadores é agosto de 2015.
     O objetivo do projeto é entregar ao consumidor um produto capaz de compartilhar a tela do seu smartphone, diretamente na televisão e realizar streaming (ou transmissão imediata sob demanda) de alguns aplicativos como YouTube. Neste período estendido de desenvolvimento ainda será possível fechar mais parcerias, garantindo a presença de mais aplicativos de peso na plataforma. A plataforma terá uma loja de aplicativos exclusiva e alguns já estão confirmados como NetFlix, HBO Go, MLB TV, Spotify, Vimeo e YouTube.


segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015

As melhores fotografias da semana no Pinterest












Meu carro não tem placas








WhatsApp vai permitir chamadas gratuitas de voz através de convite


      Muitos usuários do WhatsApp ficaram frustrados depois de um misterioso botão de ligar que apareceu na plataforma do mensageiro. A função nada mais era do que um atalho para o app do telefone. Porém, parece que o tão aguardado recurso de ligações gratuitas agora chegou de vez, mas apenas para Android e para a versão web. Segundo o site Android Police, alguns usuários já podem realizar chamadas de voz pelo próprio aplicativo, sem precisar do intermédio de uma operadora para realizar o serviço.
     Ainda de acordo com a fonte, a novidade só chegou para a versão 2.11.528 do Google Play Store, ou 2.11.531, no site oficial do WhatsApp. Porém, parece que nem todos terão acesso livre ao novo recurso tão rapidamente. Segundo o Android Police, a nova ferramenta podia ser enviada como convite a usuários que ainda não tinham acesso ao recurso, entretanto, esta opção não está mais disponível.
     Segundo a fonte, para enviar convites, o usuário  - que já tinha a função - precisava fazer uma ligação do próprio mensageiro para a pessoa que desejava convidar. Assim, os contatos que recebiam a chamada e não possuíam suporte ao recurso, visualizaram uma mensagem de notificação, que liberou o acesso a funcionalidade.
    Porém, poucas horas depois, o mensageiro bloqueou a opção de enviar convites, deixando apenas usuários que já estavam com o recurso instalado funcionando. Isto é, apenas alguns felizardos tiveram a sorte de receber a suposta atualização. Agora, resta aguardar um comunicado oficial do mensageiro disponibilizando a versão a todos. Pelo que parece, o WhatsApp está testando a nova ferramenta e por isso liberou o recurso apenas a alguns usuários.