Pin It button on image hover

O Blog do Bega

Sobral, onde a luz fez a curva.

quinta-feira, 31 de outubro de 2013

Para os fãs de Starwars


     Estas capas de bancos do Darth Vader e do Stormtrooper são perfeitos para o carro dos apreciadores do Império e dos Sith. Eu fico esperando os modelos dos Jedis, adoraria ter o Yoda me acompanhando nas aventuras!
     As capas são licenciadas oficialmente e ficam presas por elásticos, podendo ser lavadas na máquina sempre que preciso. Elas estão à venda na Think Geek por US$ 19. Para acompanhar, você também pode comprar tapetes do Darth Vader ou Stormtrooper por US$ 40 o par.


Por que elas devem ter câmera











A Origem do Halloween


     Hoje é dia do Halloween. Conheça um pouco da história do Dia das Bruxas.
     O Dia das Bruxas (Halloween é o nome original na língua inglesa) é um evento tradicional e cultural, que ocorre nos países anglo-saxônicos, com especial relevância nos Estados Unidos, Canadá, Irlanda e Reino Unido, tendo como base e origem as celebrações dos antigos povos, sendo que não existem ao certo referências precisas de onde surgiram essas celebrações.
A palavra Halloween tem origem na Igreja católica.
     Vem de uma tradição contraída do dia 1 de novembro, o Dia de Todos os Santos, é um dia católico de observância em honra de santos.
     Mas, no século V DC, na Irlanda Céltica, o verão oficialmente se concluía em 31 de outubro.
     O feriado era Samhain, o Ano novo Céltico.
     Alguns bruxos acreditam que a origem do nome vem da palavra hallowinas - nome dado às guardiãs femininas do saber oculto das terras do norte (Escandinávia).
     Mas os estudiosos dizem que a palavra Halloween surgiu da seguinte forma:
     O nome é, na realidade, uma versão encurtada de "All Hallow’s Eve"(Noite de Todos os Santos), a véspera do Dia de Todos os Santos (All Hallow’s Day).
     "Hallow" é uma palavra do inglês antigo para "pessoa santa" e o dia de todas as "pessoas santas" é apenas um outro nome para Dia de Todos os Santos, o dia em que os católicos homenageiam todos os santos. Com o tempo, as pessoas passaram a se referir à Noite de Todos os Santos, "All Hallow’s Eve", como "Hallowe'en", e mais tarde simplesmente "Halloween".
     O Halloween marca o fim oficial do verão e o início do ano novo.
     Celebra também o final da terceira e última colheita do ano, o início do armazenamento de provisões para o inverno, o início do período de retorno dos rebanhos do pasto e a renovação de suas leis.
     Era uma festa com vários nomes: Samhain (fim de verão), Samhein, La Samon, ou ainda, Festa do Sol.
     Mas o que ficou mesmo foi o escocês Hallowe'en.
     Uma das lendas de origem celta fala que os espíritos de todos que morreram ao longo daquele ano voltariam à procura de corpos vivos para possuir e usar pelo próximo ano. Os celtas acreditavam ser a única chance de vida após a morte.
     Os celtas acreditaram em todas as leis de espaço e tempo, o que permitia que o mundo dos espíritos se misturasse com o dos vivos.
     Como os vivos não queriam ser possuídos, na noite do dia 31 de outubro, apagavam as tochas e fogueiras de suas casas, para que elas se tornassem frias e desagradáveis, colocavam fantasias e ruidosamente desfilavam em torno do bairro, sendo tão destrutivos quanto possível, a fim de assustar os que procuravam corpos para possuir, (Panati).
     Os Romanos adotaram as práticas célticas, mas no primeiro século depois de Cristo, eles as abandonaram.
     O Halloween foi levado para os Estados Unidos em 1840, por imigrantes irlandeses que fugiam da fome pela qual seu país passava e passou ser conhecido como o "Dia das Bruxas".
      A brincadeira de "doces ou travessuras" é originária de um costume europeu do século IX, chamado de "souling" (almejar).
     No dia 2 de novembro, Dia de Todas as Almas (ou Finados aqui no Brasil), os cristãos iam de vila em vila pedindo "soul cakes" (bolos de alma), que eram feitos de pequenos quadrados de pão com groselha.
     Para cada bolo que ganhasse, a pessoa deveria fazer uma oração por um parente morto do doador.
     Acreditava-se que as almas permaneciam no limbo por um certo tempo após sua morte e que as orações ajudavam-nas a ir para o céu.
     A vela na abóbora provavelmente tem sua origem no folclore irlandês.
     Um homem chamado Jack, um alcoólatra grosseiro, em um dia 31 de outubro bebeu excessivamente e o diabo veio levar sua alma. Desesperado, Jack implora por mais um copo de bebida e o diabo concede.
     Jack estava sem dinheiro para o último trago e pede ao Diabo que se transformasse em uma moeda. O Diabo concorda.
     Mal vê a moeda sobre a mesa, Jack guarda-a na carteira, que tem um fecho em forma de cruz.
     Desesperado, o Diabo implora para sair e Jack propõe um trato: libertá-lo em troca de ficar na Terra por mais um ano inteiro. Sem opção, o Diabo concorda.
     Feliz com a oportunidade, Jack resolve mudar seu modo de agir e começa a tratar bem a esposa e os filhos, vai à igreja e faz até caridade.  Mas a mudança não dura muito tempo, não.

     No próximo ano, na noite de 31 de outubro, Jack está indo para casa quando o Diabo aparece. Jack, esperto como sempre, convence o diabo a pegar uma maçã de uma árvore.
     O diabo aceita e quando sobe no primeiro galho, Jack pega um canivete em seu bolso e desenha uma cruz no tronco. O diabo promete partir por mais dez anos. Sem aceitar a proposta, Jack ordena que o diabo nunca mais o aborreça.
O diabo aceita e Jack o liberta da árvore.
     Para seu azar, um ano mais tarde, Jack morre, e em seguida tenta entrar no céu, mas sua entrada é negada. Sem alternativa, vai para o inferno.
     Chegando lá, encontra o diabo, o qual ainda desconfiado e se sentindo humilhado, também não permite sua entrada, e como castigo, o diabo joga uma brasa para que Jack possa iluminar seu caminho pelo limbo. Jack põe a brasa dentro de um nabo para que dure mais tempo e sai perambulando.
     Devido à esse acontecimento, sua alma penada passa a ser conhecida como Jack O'Lantern (Jack da Lanterna).
     Os nabos na Irlanda eram usados como "lanternas do Jack" originalmente, mas quando os imigrantes vieram para a América, eles descobriram que as abóboras eram muito mais abundantes que nabos.
     Então começaram à utilizar abóboras iluminadas com uma brasa por dentro ao invés de nabos.
     Por isso a tradição de se fazer caricaturas em abóboras e iluminá-las por dentro com uma vela na época de Halloween.
     Segundo a lenda, quem presta atenção e consegue ver uma pequena luz fraca na noite de 31 de outubro, é porque conseguiu ver a passagem de Jack procurando uma saída do limbo em que está preso.
     As bruxas têm um papel importantíssimo no Halloween.
     Não é à toa que o dia 31 de Outubro é conhecido como "Dia das Bruxas" em português.
     Segundo várias lendas, as bruxas se reuniam duas vezes por ano durante a mudança das estações: no dia 30 de abril e no dia 31 de outubro.
     Segundo conta-se a lenda, chegando em vassouras voadoras, as bruxas participavam de uma festa chefiada pelo próprio Diabo.
     Elas jogavam maldições e feitiços em qualquer pessoa, transformavam-se em várias coisas e causavam todo tipo de transtorno.
     Diz-se também que para encontrar uma bruxa era preciso colocar suas roupas do avesso e andar de costas durante a noite de Halloween.
     Então, à meia-noite, você veria uma bruxa!
     A crença em bruxas chegou aos Estados Unidos com os primeiros colonizadores.
     Lá, elas se espalharam e misturaram-se com as histórias de bruxas contadas pelos índios norte-americanos e, mais tarde, com as crenças na magia negra trazidas pelos escravos africanos.
     O gato preto é constantemente associado às bruxas devido às lendas, as quais citam que elas podem transformar-se em gatos e também devido às crenças, as quais pregam que os gatos são na realidade espíritos de pessoas mortas.
     Muitas superstições estão associadas aos gatos pretos.
     Uma das mais conhecidas é a de que se um gato preto cruzar seu caminho, você deve voltar pelo caminho de onde veio, pois se não o fizer, é azar na certa.
O Halloween pelo Mundo
     A festa de Halloween, na verdade, equivale ao "Dia de Todos os Santos" e o "Dia de Finados", e foi absorvido pela Igreja Católica para apagar os vínculos pagãos, dando origem à festa. Os países de origem hispânica comemoram o Dia dos Mortos e não o Halloween.
     No Oriente, a tradição é ligada às crenças populares de cada país.

quarta-feira, 30 de outubro de 2013

Uma nova e mórbida maneira de cortar calorias: A colher de açúcar caveira


     Para ajudar a reforçar a afirmação de que o açúcar é o mal, designers projetaram esta maligna colher do crânio. Com corte de aço inoxidável, este anatômico utensílio serve como um lembrete mórbido cada vez que você ficar perto de um açucareiro. Você pode encontrar a colher do crânio no Kickstarter por cerca de US $ 13.



Charme em Preto & Branco









Um pouco sobre o novo iPad Mini da Apple


     O novo iPad Mini Retina Display vem finalmente equipado com a tela 7.9” de alta resolução que todo mundo queria, com mais de 3.1 milhões de pixels e resolução de 2048×1536, quatro vezes maior que o modelo anterior e o mesmo que o iPad Air.
     O iPad Mini Retina Display vem com o mesmo processador A7 (64-bit) do iPhone 5s e iPad Air, também auxiliado por um coprocessador M7 para medir os movimentos do tablet, aumentando muito a velocidade. Duas antenas WI-FI e tecnologia MIMO (multiple-input multiple-output) dobram a velocidade de acesso à internet, que pode chegar a downloads de 300 Mbps.
     O iPad Mini Retina Display tem o mesmo tamanho e espessura de sue antecessor (200 mm por 134.7 mm por 7.5 mm), mas infelizmente é um pouco mais pesado com 331 gramas ao invés de 308 g do modelo anterior versão Wi-Fi. As câmeras dianteira e traseira também continuam iguais.
     O novo iPad Mini Retina Display vai ter os seguintes preços nos EUA: 16GB por US$399, 32GB por US$499, 64GB por US$599 e 128GB por US$699. O modelo com 4G vai custar a partir de US$529 pelo de 16GB. Mais detalhes na Apple Store.

terça-feira, 29 de outubro de 2013

Penas Cortadas por Chris Maynard


     Usando penas adquiridos em zoológicos e viveiros particulares, o artista Chris Maynard cria “shadowboxes” delicadamente construídos, que brincam com aspectos de luz e espaço negativo. O artista admite estar "obcecado pelas penas" e é fascinado não só com pássaros e seu voo, mas com a cor e a textura de sua plumagem, que ele explora através de seus pequenos dioramas.










Rabiscadas









Vem aí Star Wars: Episódio VII


      O roteirista Michael Arndt, responsável pelos incríveis Toy Story 3 e Little Miss Sunshine, não está mais escrevendo o próximo capítulo da saga espacial de George Lucas, Star Wars Episódio VII, a ser lançado pela Disney em 2015. Quem entrou em seu lugar foi o lendário Lawrence Kasdan, alguém que entende de Star Wars como poucos, afinal, estamos falando do autor de um dos melhores filmes da franquia, Star Wars Episódio V: O Império Contra-Ataca, além de Star Wars Episódio VI: O Retorno de Jedi. Kasdan, que também foi o roteirista de Caçadores da Arca Perdida, grande clássico de Steven Spielberg e George Lucas, está muito bem acompanhado pelo diretor do Episódio VII, J.J. Abrams (Super 8 e Star Trek I e II).
     Para a presidente da Lucasfilm e produtora do Episódio VII, Kathleen Kennedy, “Existem poucas pessoas que entendam fundamentalmente como Star Wars funciona como Larry, e é nada menos que incrível ter ele ainda mais profundamente envolvido com a sua volta à tela grande. J.J, é claro, é um contador de histórias incrível por seu próprio direito. Michael Arndt fez um excelente trabalho trazendo-nos até este ponto e nós temos equipes maravilhosas de filmagem e designers prontos, já preparando a produção.”
     John Williams será o autor da trilha, algo que já era óbvio, mas cuja confirmação me deixa mais tranquilo. Mal posso esperar pelos próximos detalhes deste filme, desde já o mais esperado de todos os tempos! Que 2015 chegue logo, com a volta dos Siths e dos Jedis!

segunda-feira, 28 de outubro de 2013

Não perca o contato com os seus filhos

    

     Quem é pai ou mãe sabe como é fácil perder uma criança na multidão. Muitas vezes os pequenos aproveitam um segundo de distração para correr para longe de nossas vistas.
     Para evitar maiores problemas, a Wonder Technology Solutions lançou o Trax, menor GPS produzido e que ajuda a rastrear onde a criança está. Ele usa uma tecnologia de fusão de sensores e vem na forma de um pequeno dispositivo acoplável à prova de água.
     O funcionamento é muito simples. Sempre que a criança sai do campo de ação predeterminado, o GPS manda um aviso para o smartphone do responsável.
     Esse aparelho também pode ser usado em animais de médio porte, mas não é aconselhável para gatos e cães pequenos, pois ainda é muito grande. O aparelho deverá estar disponível para 39 países em dezembro e custará US$ 219, com direito a 2 anos de dados e roaming gratuito.

Eu estaciono feito um idiota