Pin It button on image hover

O Blog do Bega

Sobral, onde a luz fez a curva.

terça-feira, 30 de junho de 2015

Beleza rabiscada







Gol e Gogo terão internet no avião


     A Gol Linhas Aéreas e a Gogo vão lançar (finalmente!) um serviço de conexão à internet em aviões no Brasil – mas só em 2016. O serviço é bastante popular nos Estados Unidos na maioria das companhias aéreas.
     A tecnologia da Gogo é interessante: a companhia aérea instala receptores de sinal de satélite no avião e esse sinal é redirecionado para roteadores sem fio, que podem ser acessados pelos passageiros.
     No Brasil, a United já tem algumas rotas saindo de São Paulo com destino aos Estados Unidos já com Wi-Fi da Gogo integrado (notadamente o incrível-e-maravilhoso 787 na rota para Houston). No caso da Gol, finalmente passageiros brasileiros com destinos internos terão acesso à internet durante o voo.
      No Brasil, a Gol promete botar os primeiros aviões no ar com tecnologia Gogo no primeiro semestre de 2016.
     A tecnologia estará disponível em toda a frota, já com a mais recente geração de acesso (2KU), que também traz um novo sistema de entretenimento a bordo, chamado Gogo Vision, e inclui TV por IP (Gogo TV) – algo que a Gogo ressaltou bastante no comunicado de imprensa. Diz a Gogo que essa geração 2KU permite velocidades de até 70Mbps para um avião – o que é bastante rápido.
     Resta saber como a Gol vai cobrar isso dos passageiros: lá fora, as cias. aéreas, dependendo do voo, vendem pacotes por hora – o que faz mais sentido em voos curtos – ou para todo o período (tem até passes de um dia e assinaturas mensais). Mas não é uma tecnologia barata.

segunda-feira, 29 de junho de 2015

As melhores fotografias da semana no Pinterest












Eu estaciono feito um idiota











Vendas de tablets caem 20% no Brasil

         
     As vendas de tablets no Brasil despencaram 20% no primeiro trimestre de 2015 em comparação com o mesmo período do ano passado. De acordo com a IDC, que divulgou um estudo sobre o mercado de tablets na quinta-feira (25), foram comercializados 1,78 milhão de dispositivos no país entre janeiro e março, cerca de 390 mil unidades a menos que no primeiro trimestre de 2014.
     O número ficou abaixo das expectativas da consultoria, que esperava 2 milhões de unidades vendidas no primeiro trimestre de 2015. Por que houve uma queda tão grande? Segundo a IDC, a alta do dólar influenciou bastante no resultado, já que os preços aumentaram até 17% em relação ao quarto trimestre de 2014. O fato de o governo ter cancelado projetos de educação também puxou os números para baixo.
     Mas a queda não parece ser apenas momentânea, ou somente culpa da situação econômica do país. Na verdade, as vendas estão diminuindo também por causa da “canibalização do mercado devido aos phablets e outros dispositivos com tela grande” e da má experiência de uso — o que faz sentido quando vemos que 70% dos tablets vendidos são de baixo custo, na faixa de preço de até R$ 500.
     Nesses 1,78 milhão de tablets estão incluídos os notebooks 2 em 1, com tela destacável, que foram responsáveis por 41 mil unidades e seguiram na contramão dos tablets comuns. As vendas dos híbridos aumentaram 115% em relação ao quarto trimestre de 2014, um período tradicionalmente forte em vendas — entre outubro e dezembro, mais de 3 milhões de tablets haviam sido comercializados no Brasil.
     Até o final de 2015, a expectativa é que sejam vendidos 8,1 milhões de tablets, número 14% menor que os 9,5 milhões de unidades comercializadas em 2014.

Fonte:IDC

sábado, 27 de junho de 2015

Microsoft libera versão web do Skype


        Você não precisa mais depender de um cliente em seu computador para usar o Skype. No início do mês, a Microsoft liberou a versão web do serviço nos Estados Unidos e Reino Unido. Nesta segunda-feira (15), a novidade chegou para usuários do mundo todo.
     O Skype for Web, como é chamado, surgiu como beta no final de 2014. Na ocasião, somente usuários convidados podiam testá-lo. Na atual fase, o serviço permanece como beta, mas conta com várias melhorias e, claro, deixou de exigir convites.
     Um dos acréscimos é o suporte a múltiplos idiomas, inclusive português do Brasil (você pode alterar a língua no canto esquerdo inferior). Outro é a ferramenta de busca que permite encontrar contatos com mais facilidade. O serviço também é capaz de mostrar notificações mesmo quando você estiver em outra página ou janela, desde que haja permissão (a autorização é solicitada no primeiro acesso).
     Mas o que interessa mesmo são as conversas via vídeo e voz. Em um rápido teste, tive a impressão de que a qualidade das transmissões fica próxima do que é oferecido pelos aplicativos do Skype.
     Neste ponto, convém ressaltar que o Skype for Web exige a instalação de um plugin no navegador para fazer transmissões, do contrário, só será possível acessar o chat por texto do serviço.
     Você também notará que alguns recursos estão ausentes, como envio de arquivos, compartilhamento de telas e gerenciamento de contatos, mas a Microsoft promete disponibilizar as funções faltantes (ou boa parte delas, pelo menos) nas próximas atualizações.
      Para usar o Skype for Web, basta acessar o enderenço web.skype.com. Pode ser que o serviço ainda não esteja disponível para você, mas não deve demorar muito para todas as contas terem a opção.

sexta-feira, 26 de junho de 2015

Sei não, mas... sei lá


Netflix na Web ganha interface mais prática


     Não sei quanto a você, mas eu prefiro assistir aos vídeos da Netflix a partir dos apps do serviço. O motivo? A experiência de uso no navegador não é das melhores. Mas essa impressão está prestes a ficar no passado: a companhia anunciou na segunda-feira (15) a esperada interface que promete corrigir as deficiências da versão web.
     “Demorou!”. Foi a primeira coisa que eu disse ao saber da novidade. Mas a longa espera tem um motivo: segundo a Netflix, esta é a primeira grande mudança que o site do serviço sofre em quatro anos, logo, foi necessário criar a interface do zero para a experiência ficar dentro das expectativas.
     Na primeira olhada, parece que os esforços valeram a pena. O novo site da Netflix tem um ar realmente prático, com um comportamento que o torna mais parecido com um aplicativo do que com uma página web.
     Ao passar o cursor do mouse sobre um título, por exemplo, você verá uma sequência de imagens do filme. Clicando nesse título, o serviço mostrará um painel com a sinopse, comentários e outras informações da produção.
     Ali também aparecerá uma opção chamada “More like this” que permite encontrar mais facilmente filmes e seriados relacionados ou que tenham a participação de determinado membro do elenco, por exemplo.
     Mas a mudança que provavelmente será mais celebrada é o novo modo de navegação. No formato atual, você tem que deixar o cursor do mouse sobre uma seta na lateral para percorrer a linha que mostra os demais títulos. Há tão pouca praticidade aí que um desenvolvedor teve a ideia de criar um bookmarklet (pequeno código em JavaScript) que acaba com as listas horizontais.
     O novo layout não aposenta a navegação lateral, mas a Netflix jura de pés juntos que ficou muito mais fácil e rápido percorrer as linhas. A companhia destaca também que a função foi preparada para, além do mouse, funcionar bem com trackpad e tela sensível a toques.

quinta-feira, 25 de junho de 2015

Charme em Preto & Branco







Operadoras ameaçam aumentar em mais de 20% o preço da telefonia móvel


     Com a crise econômica, o governo está tomando medidas para equilibrar as contas públicas, e uma das ideias estudadas é elevar em 189% (!) as taxas do Fistel, cobrado das operadoras pela Anatel. Mas as empresas já pressionaram o governo: se o reajuste for feito, todos os serviços de telefonia móvel subirão em mais de 20% e a base de clientes despencará.
     O Fistel é composto por duas taxas. A Taxa de Fiscalização e Instalação (TFI), paga pela sua operadora sempre que uma nova linha é ativada, subiria de R$ 26,83 para R$ 77,54. As empresas também precisam pagar a Taxa de Fiscalização e Funcionamento (TFF), que passaria de R$ 13,42 por R$ 38,77 por ano para cada linha ativa (é por isso que, periodicamente, as operadoras limpam a base de números).
     Representantes da Algar, Claro, Oi, TIM e Vivo reuniram-se na quarta-feira (17) com o ministro das Comunicações, Ricardo Berzoini, para pressionar o governo contra o aumento. As empresas calculam que passariam de um lucro de R$ 4,03 bilhões em 2014 para prejuízo de R$ 1,5 bilhão. Além de terem que aumentar os preços dos serviços, as operadoras também demitiriam funcionários de call center, engenharia, instalações e distribuição.
     As operadoras ameaçam entrar na Justiça caso o aumento ocorra e argumentam que o dinheiro do Fistel não está sendo usado para investir no setor. Entre 2001 e o primeiro trimestre de 2015, os fundos setoriais de telecomunicações (o que também inclui o Funttel) arrecadaram mais de R$ 84 bilhões, mas apenas 7% teriam sido aplicados na telefonia.
     Como seria necessário aumentar as tarifas da telefonia móvel em mais de 20%, as operadoras dizem que clientes de baixo poder aquisitivo, que usam apenas serviços básicos, abandonarão o celular. Segundo o SindiTelebrasil, sindicato que representa as empresas de telefonia, o brasileiro gasta em média R$ 12,60 por mês com linha pré-paga, o que atualmente rende R$ 1,39 de lucro para as operadoras. Se houver aumento, as empresas não terão como manter esses usuários no sistema.
     As empresas estimam, com base em estudo da Anatel, que até 40 milhões de linhas pré-pagas seriam eliminadas, o que, no final das contas, causaria diminuição na arrecadação do Fistel.

Fonte: Valor Econômico.