Pin It button on image hover

O Blog do Bega

Sobral, onde a luz fez a curva.

domingo, 26 de junho de 2016

Super Máquinas






Universidade da Califórnia cria processador com 1000 núcleos


    Em uma impressionante amostra de personalização, a UC Davis (Universidade da Califórnia em Davis) criou um chip monstro chamado “KiloCore”, que tem 1.000 processadores independentes. Isso quer dizer que ele consegue processar 1,78 trilhão de instruções por segundo.
     Mas provavelmente o que mais chama atenção no feito da UC Davis não é só a capacidade de produzir um chip mostro, mas em fazê-lo com uso eficiente de energia. Segundo a UC Davis, o chip pode executar 115 bilhões de instruções por segundo usando apenas 0,7 Watts, tornando-o aproximadamente 100 vezes mais eficiente que chips modernos que você acha em seu laptop, e que você poderia alimentá-lo apenas com uma pilha AA. Além disso, como cada núcleo é independente, eles podem ser completamente desligados para ter uma eficiência energética ainda melhor.
     Como sempre ocorre com esses experimentos de chips feitos em laboratório, os consumidores não verão tão cedo um computador com um chip de mil núcleos. O chip “KiloCore” foi construído em uma arquitetura antiga da IBM de 32 nm, e as fabricantes de chip estão agora na corrida para fazer processadores de 7 nm. Além disso, o último e um dos mais avançados lançados pela Intel é o i7 6950X, que conta com 10 cores e usa um menor número de núcleos com configurações de clock maiores. Logo, podemos ter uma noção de quão longe é este futuro que estamos falando quando citamos esse chip da UC Davis.
     Indiferentemente disso, este novo chip tem mais que o triplo de processadores, comparado com o último recordista. Os pesquisadores já conseguem ver a aplicação de conceitos dele em atividades que exigem alto processamento, como processamento de vídeo, criptografia e manipulação de dados científicos, embora a UC Davis tenha dito que o projeto foi feito apenas para fins de pesquisa.

domingo, 19 de junho de 2016

Sobral Antiga

     Avenida Dom José

Rabiscos






Olli, um ônibus elétrico reciclável


          Uma startup do Arizona criou um ônibus que reúne tudo o que seria um veículo do futuro. Batizado de Olli, o ônibus é impresso em 3D, com direito a algumas partes recicláveis, é movido a energia elétrica e não precisa de motorista, com capacidades totalmente autônomas e que podem ser usadas em um modelo de corrida sob demanda, como o Uber. Quanta coisa, né? Já mencionei que uma parceria com o Watson, plataforma cognitiva da IBM, leva comandos de voz para o veículo?
    Quem produziu tudo isso foi a Local Motors, empresa que cria conceitos fora da caixa que podem dar muito certo no mercado. O último lançamento deles foi o Strati, um carro que também foi impresso em 3D. No caso do Olli, o modelo é ainda mais interessante porque ele também é autônomo e pode ser usado para compartilhamento de corrida. O plano da empresa é abrir micro-fábricas nos Estados Unidos — e no mundo — para produzir o ônibus sob demanda.
     Já que o projeto em 3D está pronto, é basicamente uma questão de conseguir os materiais necessários e esperar algum comprador. Em cerca de 11 horas — 10h para a produção e 1h para a montagem — o Olli sai da fábrica pronto para ser usado. E, por meio de parcerias, já pode sair pelas ruas. Em entrevista à AFP, John Rogers, cofundador e CEO da empresa, disse que é apenas uma questão das autoridades reguladoras permitirem o uso do Olli.
     Um dos maiores desafios para o Olli é o que Rogers chama de fielding, ou seja, adaptar o Olli às especificações locais de cada região e oferecer o serviço para governos locais e outros compradores. A comparação com o Uber é válida porque os passageiros podem chamar o veículo a partir de um aplicativo no celular. Ele carrega até 12 pessoas. Imagina que legal se essa ideia emplaca e podemos ir de ônibus impresso em 3D ao trabalho? O custo de produção do Olli não foi revelado, mas o Strati era vendido por US$ 5 mil.
     A parceria com a IBM traz a inteligência do Watson para o miniônibus. Com comandos de voz que reconhecem linguagem natural, o passageiro pode falar “me leve ao trabalho” e também perguntar como o Olli funciona. Graças à aprendizagem de máquina, também será possível recomendar destinos aos passageiros. Como aponta o Recode, esse é o começo da transição de motoristas de ônibus humanos para ônibus autônomos.
     Para testar a tecnologia, a Local Motors fará várias corridas no evento da empresa que acontecerá em National Harbor, a 16 km da capital dos Estados Unidos, Washington, DC. Visitantes poderão ver como funciona o processo de fabricação e futuramente até crianças poderão aprender como se dá a reciclagem de carros impressos (que conceito). Um porta-voz da Local Motors disse que é possível que haja centenas de Olli’s até o final do ano, com programas-piloto na Flórida e em Nevada.



domingo, 12 de junho de 2016

Retrato em Preto & Branco






Pombos informam sobre qualidade do ar de Londres


     Você lembra do desenho “Máquinas Voadoras'', da Hanna-Barbera, em que Dick Vigarista e Mutley realizavam caçadas loucas pelos céus contra um pombo-correio com uma mochilinha? Pois a agência de marketing DigitasLBI, de Londres, criou seu próprio exército de pombos empacotados, imbuídos de enfrentar a poluição aérea.
     Equipados com mochilas que contêm sensores de poluição e rastreadores GPS, as aves começaram a voar sobre a cidade na segunda-feira (14) para monitorar a qualidade do ar e relatar suas descobertas. Esse primeiro experimento vai durar três dias.
     Quem criou a mochila foi a start-up Plume Labs. O equipamento monitora o dióxido de azoto, ozono e compostos voláteis. Um veterinário faz parte da equipe para zelar pela saúde e bem-estar das aves.
     A brincadeira também está nas redes sociais: os londrinos que estiverem curiosos para saber como está o ar perto de sua casa ou escritório podem enviar perguntas para a conta de Twitter @PigeonAir.

domingo, 5 de junho de 2016

Sobral Antiga


Selfie






O Facebook pode estar espionando você


      Kelli Burns, professora de comunicação de massa na Universidade do Sul da Flórida (EUA), levantou uma teoria: o Facebook pode estar ouvindo suas conversas para exibir anúncios relevantes aos usuários. A rede social nega isso veementemente.
     Segundo o Independent, Burns falou sobre alguns assuntos específicos próxima ao celular, e depois encontrou anúncios relacionados a esses temas no Facebook.
     A rede social, no entanto, rejeita as acusações. “O Facebook não usa o microfone do seu celular para direcionar anúncios nem para mudar o que você vê no Feed de Notícias”, escreveu a empresa em um comunicado. Ela diz que às vezes pode acessar o microfone do usuário, mas somente se obtiver permissão.
     Um porta-voz do Facebook também nos enviou a seguinte declaração (grifo deles):
     "O Facebook não usa o áudio do microfone para direcionar anúncios nem histórias no Feed de notícias de nenhuma forma. As empresas podem exibir anúncios relevantes com base nos interesses das pessoas e em outras informações demográficas, mas não coletando áudio."
     A ligação entre conversas e anúncios direcionados já apareceu antes. Em outubro de 2015, um usuário do Reddit questionou se o Facebook o estava ouvindo depois que ele falou com a namorada sobre matar uma barata; ele afirmou que, depois, surgiram anúncios sobre controle de pragas.
     Após o incidente, não fizemos nenhuma busca na internet. Nem eu jamais procurei qualquer coisa relacionada a insetos ou controle de pragas… No entanto, após 7 a 10 minutos, um anúncio apareceu no Facebook (no meu iPhone) com grandes imagens de bichos rastejantes e o subtítulo “Precisa de Controle de Pragas?”.
     A rede social respondeu basicamente da mesma forma na época: “o Facebook não está ouvindo nem armazenando suas conversas”.
     Anteriormente, em 2014, o Facebook passou a ter problemas quando anunciou que iria começar a ouvir músicas ou programas de TV tocando no ambiente enquanto o usuário atualizasse o status. Esse recurso exigia permissão do usuário, mas levantou preocupações sobre privacidade.
     Estes relatos mais recentes também vêm na esteira de uma atualização recente no programa de publicidade do Facebook, que foi ampliado para atingir pessoas dentro e fora da rede social. À medida que mais microfones se tornarem presentes em nosso cotidiano, mais empresas poderão ouvir o que está acontecendo em nossas vidas.

quarta-feira, 1 de junho de 2016

O Ceará visto de riba






Zenfone da Asus está deixando a Samsung e Apple em alerta.


     Não é segredo que a ASUS está entrando no mercado de smartphones no Brasil com seus aparelhos da família Zenfone. Lançados durante a CES deste ano, eles já são um sucesso de vendas na Índia (40 mil unidades em 4 dias!), um dos cinco mais vendidos na Rússia e saem como pãozinho quente em Taiwan e na Indonésia.
     O slogan da empresa para os aparelhos é “Premium Luxury for Everyone” (algo como “Luxo e sofisticação para todos”), e não é um exagero: o danado é bonito e cheio de recursos legais. Os Zenfone chegam às lojas no Brasil em 15 de outubro, e vale a pena conhecer um pouco mais sobre eles.
São finos, leves e bonitos
     A família Zenfone foi a vencedora do prêmio RedDot Design Award 2014. Os aparelhos têm detalhes sofisticados, com acabamento com peças cortadas a laser e um material suave ao toque na tampa traseira, que remete à cerâmica. Ambos são finos e leves, com apenas 5,5 mm de espessura na sua parte mais fina e peso de 145 gramas (Zenfone 5) ou 196 gramas (Zenfone 6). Cabem fácil no bolso, e graças à sua curvatura ergonômica são confortáveis de usar mesmo com uma só mão.
     O detalhe metálico com círculos concêntricos na base cria um efeito visual diferente e que faz com que ele se destaque entre os concorrentes com design similar. É o que dá para chamar de luxo premium: você tem um design sofisticado com um preço menor que o de aparelhos como iPhone 5s/6 ou Samsung Galaxy S5.
     A câmera de 8 MP do Zenfone 5 tem lente com abertura f/2.0 e flash LED, e vem com a exclusiva tecnologia PixelMaster, ideal para fotografar e filmar em qualquer condição de luz. Até mesmo quando falta luz. Seu smartphone enxerga no escuro? O Zenfone sim.
     Além disso, o Zenfone 5  faz fotos excelentes em modo HDR (com maior contraste entre luz e sombra) e tem 18 modos especiais para fotografia, entre eles o modo “Retrocesso de Tempo” que captura alguns segundos antes, durante e depois do clique para garantir a imagem perfeita. E ainda vem com um modo de estabilização de imagem, que evita tirar fotos tremidas. Pixelmaster é uma tecnologia que nem o iPhone nem os aparelhos da Samsung têm – e que no final das contas garante fotos melhores.
     A tela HD de 5” do Zenfone 5 é maior e tem mais resolução que a do iPhone 5S, e graças à tecnologia IPS produz imagens nítidas e claras em qualquer situação de luz e com um excelente ângulo de visualização. Além disso, a tela vem com um revestimento que reduz em até 30% as marcas de dedos e é protegida por Corning Gorilla Glass 3, o que a deixa mais resistente a choques e arranhões. E para completar, pode ser usada mesmo com luvas.
     A tecnologia ASUS Splendid permite ajustar a temperatura de cor, tonalidade e saturação da tela, e o novo modo Leitura faz com que a tela do ASUS Zenfone 5 se torne mais agradável para leitura de textos mais longos.
     A ZenUI faz sua estreia no Zenfone: é uma uma nova e exclusiva interface de usuário. Com ícones e menus simplificados, layout sem bordas, temas distintos de cores ligados à cor do aparelho e recursos como What’s Next, Do It Later, PC Link (que permite controlar o smartphone pelo PC), Remote Link, entre outros, a Zen UI adiciona mais de 1.000 novos recursos ao sistema operacional Android.
     O ASUS Zenfone 5 usa um processador Intel Atom Z2560 dual-core de 1,6GHz que garante excelente desempenho, mesmo rodando os jogos mais exigentes. Além disso tem 2 GB de RAM, coisa que outros concorrentes como o Moto G, LG L Prime ou Galaxy Gran Duos não têm e que faz muita diferença ao rodar muitos aplicativos ao mesmo tempo. Também tem 8 GB de armazenamento interno, expansível com cartões microSD de até 64 GB para você nunca ficar sem espaço.
     Na parte de telefonia, é um aparelho com conectividade HSPA+ com até 42 Mbit/s de velocidade de download, e vem pronto para uso com dois chips de operadoras. E também tem Wi-Fi, Bluetooth 4.0 e DLNA, para transmissão de fotos, vídeos e músicas sem fios a TVs compatíveis.
     O Zenfone será lançado no Brasil no dia 15 de outubro em São Paulo, e segundo a Asus ele estará disponível em diversos varejistas como Kalunga, Fast Shop e Fujioka, entre outros. E a empresa criou o seu próprio e-commerce no Brasil para comercializar o aparelho no endereço: http://loja.asus.com.br/zenfone. O preço ainda será divulgado.

quarta-feira, 25 de maio de 2016

Android N não vai rodar no seu smartphone


     Ainda não se sabe exatamente como serão feitas as atualizações do Android N, que serão do tipo “seamless” (algo como "discretas", em português). Mas, mesmo que o Google não tenha esclarecido exatamente o que serão as atualizações seamless, o pessoal da área já tem feito especulações e parece que os dispositivos atuais não receberão essas novidades do sistema anunciado recentemente. De acordo com o Android Police, o Google já havia dito que os modelos Nexus atuais não serão compatíveis com o sistema, e o senso comum acaba dizendo que, então, nenhum dispositivo atual que rode Android será capaz de suportar o N. Isso porque essas atualizações seamless exigem um sistema com duas partições, e a divisão de partições não pode ser feita pelo usuário final. Ou seja, somente novos aparelhos contarão com a partição dupla de fábrica. Os usuários mais corajosos poderão tentar realizar o procedimento por conta própria utilizando um computador conectado ao smartphone, mas o processo não é recomendado por apresentar riscos de danificar o aparelho permanentemente. Então, o jeito é aguardar o Google se posicionar a respeito desse assunto e, caso os rumores se confirmem, optar por um smartphone novo se quiser curtir as vantagens do Android N.

Fonte: Android Police

O Ceará visto lá de riba