O Blog do Bega

Sobral, onde a luz fez a curva.

domingo, 23 de novembro de 2014

O melhor da semana no meu Facebook








Seguidores de Alá fazem oração no Centro de Sobral










Sobral ontem e hoje



Galileu tinha razão


     Um dos experimentos científicos mais famosos que nunca aconteceram foi Galileu demonstrando que a aceleração da gravidade é constante independente da massa dos objetos envolvidos. Ele teria lançado balas de canhão de pesos diferentes do alto da Torre de Pisa, blá blá blá. Na verdade ele fez experimentos com planos inclinados, e demoliu a teoria gravitacional aristotélica.
     A Teoria da Gravitação Universal teria que esperar por Isaac Newton, nascido no ano da morte de Galileu, mas desde então convivemos com conceitos não intuitivos, como um quilograma de chumbo pesar o mesmo que 1 kg de espuma, ou que um martelo e uma pena caem na mesma velocidade, se não houver resistência do ar.
     Isso foi demonstrado lindamente durante a missão da Apollo XV, quando o astronauta Dave Scott soltou uma pena e um martelo na superfície da Lua.
     Agora temos uma demonstração ainda mais impressionante, cortesia da BBC e da NASA.
     A Space Power Facility é uma câmara de vácuo construída em Ohio para testar espaçonaves. São 37 metros de altura, 30 de diâmetro e, para bombear o ar todo para fora leva 3 horas. A câmara é especialmente construída para resistir à pressão atmosférica, que não é brinquedo não.
     Nessa câmara Brian Cox, da BBC acompanhou um experimento onde uma bola de boliche e um conjunto de penas foram soltos no vácuo. O resultado é bem mais dramático do que a versão lunar.
 Assista ao vídeo:


sábado, 22 de novembro de 2014

Que tal ter no quintal um esqueleto do T-Rex em tamanho real?


    Você já olhou para seu quintal e teve a impressão de que falta nele uma réplica em tamanho real do esqueleto de um Tiranossauro Rex? Não imagina como conseguir um e sua vida parece um pouco menos completa graças a isso? Bom, alguém está produzindo e vendendo as réplicas por módicos US$ 100 mil.
     A loja Hammacher Schlemmer é a responsável pela peça que ele garante ter mais de 12 metros de comprimento. Ela reproduz Stan, o fóssil de um Tiranossauro encontrado no estado americano da Dakota do Sul em 1992. O animal tinha 4,5 metros de altura e pesava 680kg. Ele agora pode fazer parte da decoração de sua casa.

sexta-feira, 21 de novembro de 2014

O incrível poder da maquiagem


      Quantas vezes você já viu diversas modelos sendo totalmente alteradas através do Photoshop. É aquela afinada no rosto, ou aquela emagrecida virtual. Mas o que você verá a seguir é verdadeiramente arte.
     Utilizando apenas cosméticos, o artista Vadim Andreev faz verdadeiros milagres com o poder da maquiagem transforma as mulheres de aparência normal em deslumbrantes garotas da capa!
     Dizem que na Rússia, antes de você se casar, você deve levar sua noiva para a sauna em primeiro lugar – lá você pode ver a pessoa real, sem todos os cosméticos, agora muito mais válido com essa arte.
     O resultado das imagens é de cair o queixo, difícil acreditar que as fotos não foram retocadas!
Fonte: criatives













Sei não, mas... sei lá.





Samsung deixa OLED e foca no Quantum Dot em novas TVs


     A Samsung tentou bater de frente com a LG no ramo de TVs por anos, na verdade uma seguiu a outra de forma flagrante em tudo, o que chegou a se desdobrar até em um caso de polícia envolvendo a tecnologia de displays OLED. E é justamente essa tecnologia a responsável por uma mudança de estratégia por parte de companhia sul-coreana: para 2015 nenhum televisor do tipo será produzido, ao passo que os modelos Quantum Dot serão seus novos queridinhos.
     O motivo por trás dessa decisão da Sammy é simplesmente econômico: produzir uma TV OLED é algo muito caro. O custo de fabricação na hora de produzir um modelo de maior tamanho eleva os valores finais a níveis absurdos, proibitivos até para entusiastas. Isso é um ponto a favor do LCD, entretanto a tecnologia OLED é comprovadamente mais eficiente e capaz de entregar cores mais nítidas e imagens mais definidas.
     Tudo repousa em como a imagem é formada. Numa tela LCD, filtros especiais ajudam a polarizar, difundir e colorizar a luz emitida pelos cristais em cada pixel. O grande problema é que esses filtros deixam passar uma gama muito grande de tons – para uma cor amarela, por exemplo, passam junto vários tons próximos. Como se não bastasse, 90% da luz emitida pelos LEDs brancos – que são azuis, mas revestidos com fósforo amarelo – se perdem. Um display OLED não precisa de backlight como TVs LCD ou LED, pois os próprios LEDs emitem luz graças a compostos carbônicos inseridos em sua fabricação – daí vem o “O” de “organic”.
     Sem os filtros de polarização (já que cada pixel exibe a cor correta), uma TV OLED entrega uma qualidade de imagem muito maior, mas o processo de fabricação é demasiado caro e obviamente escala quanto maior o modelo. Isso levou a Samsung a interromper seus planos para novos modelos de televisores com a tecnologia sem previsão de retorno. A solução agora cai sobre a tecnologia Quantum Dot.
     A técnica consiste em um filme com diminutos cristais inorgânicos (pequenos mesmo, medem de 2 a 10 nanômetros) que emitem cores reais quando são eletrificados e iluminados, o que significa que eles ainda dependem de um backlight. A diferença é que o filme dispensa LEDs brancos, podendo utilizar os azuis. Isso representa uma economia enorme e ainda por cima o filme é compatível com a produção de LCDs, no fim entregando cores extremamente fiéis (superior a qualquer outra técnica) por uma fração do custo de produção.
     A LG também anda flertando com a técnica (a Sony saiu na frente), e tudo leva a crer que veremos modelos de TVs Quantum Dot de ambas as empresas na CES 2015. A diferença é que a LG ainda vai se focar nos modelos OLED – embora já esteja queimando os preços de seus modelos porque ninguém está comprando.

Fonte: DT.

quinta-feira, 20 de novembro de 2014

Mr. Bean em 10 Retratos Históricos


     Rowan Atkinson, o ator que deu vida ao personagem Mr. Bean e integrante da série Blackadder, ganhou destaque nos principais retratos históricos graças ao caricaturista Rodney Pike.
     Ele pegou alguns dos retratos mais famosos e substituiu os rostos originais pelos inesquecíveis personagens de Atkinson.
     É certo que alguns artistas mais tradicionais podem até não ter gostado da ideia cômica de Pike, que acabou por modificar obras clássicas de artistas consagrados como Rembrandt van Rijn e Holbein the Younger substituindo por uma expressão divertida de Mr. Bean.
     No entanto, nunca é demais ressaltar que as obras de Pike são totalmente digitais. As obras originais permanecem intocadas!

Fonte: creatives








Charme em Preto & Branco







Mais um motor elétrico para sua bike


     Uma roda elétrica promete transformar bicicletas em aparelhos inteligentes. A Roda de Copenhague é um equipamento de extrema engenhosidade: o dispositivo, que pode ser adaptado em qualquer bike, conta com uma bateria, motor elétrico de 350 watts e sistemas de recuperação de energia cinética. De quebra, dá para conectar a roda um smartphone e deixar o gerenciamento do sistema ainda mais inteligente. A ideia é tornar híbrida qualquer bicicleta.
     A simplicidade do equipamento e a quantidade de soluções que ele oferece impressionam. Se você instalar o dispositivo na sua bike e estabelecer a conexão com seu smartphone via Bluetooth, ela passa a interagir com os sensores do telefone e identifica o quão rápido você deseja ir. Com isso, o motor elétrico entra em ação e alivia o esforço que você faz no pedal. É o mesmo princípio do Segway, que usa acelerômetros para identificar o ângulo de inclinação do seu corpo para definir a velocidade de deslocamento.
     A roda também conta com aplicativos para iOS e Android. A bateria, com vida útil estimada de 1000 ciclos, promete duração de 4 horas, dependendo da intensidade do uso, e que pode ter a carga regenerada a partir da energia cinética colhida a cada freada. Segundo o fabricante, deve ser possível usar o sistema para se locomover por uma distância de até 50 km, a uma velocidade máxima de 25 km/h. A roda oferece cinco marchas e pesa 5,9 quilos.
     Para quem se interessa por engenharia, a Roda de Copenhague é um caso para estudo. Ela conta com um motor extremamente compacto que, mesmo espremido na bitola de uma roda de bicicleta, consegue desenvolver torque suficiente. Isso acontece até em baixas rotações, sem o uso de engrenagens complexas, pesadas e absurdamente grandes.
     Outro detalhe interessante é a criação de um SDK, um kit para desenvolvedores, que permitirá algum nível de customização da plataforma. A roda foi desenvolvida por ex-alunos do MIT (Instituto de Tecnologia de Massachusetts), em parceria com designers da cidade dinamarquesa. Ela leva usa o nome de Copenhague como homenagem à cidade que é reconhecida internacionalmente pelas inovações em termos de mobilidade voltadas aos ciclistas.
     É possível adquirir a roda em pré-venda por US$ 700 (R$ 1.750,00). Ainda não há qualquer informação sobre a disponibilidade do equipamento no Brasil.

Fonte: Extreme Tech e Super Pedestrian