Em exposição o fóssil de mamute mais bem preservado já encontrado


     Yuka é um bebê fêmea de mamute lanoso, conhecido por ser o espécime mais bem preservado já encontrado pela ciência. Descoberto em 2010 no Círculo Ártico Russo, ela tem cerca de 39 mil anos e a partir desta semana está em exposição em Moscou
     Dentro de uma câmara criogênica que mantém a temperatura em constantes -18° Celsius, a pequena Yuka permanece conservada aos olhos do público, no que de mais próximos temos hoje em dia de uma máquina do tempo. Quando viva, ela pesava em torno de 100kg e tinha 11 anos no dia em que morreu.
     O que mais impressionou os pesquisadores foi encontrar um cérebro intacto no fóssil congelado, algo assim nunca havia sido registrado antes em um mamute. E eles devem ter guardado memórias difíceis, já que as cicatrizes na pele dela indicam uma vida bem complicada, com ataques de predadores como o já extinto leão das cavernas. Yuka morreu com uma perna quebrada e várias mordidas não curadas, o que indica que ela conseguiu fugir de um predador para acabar morrendo devido aos ferimentos.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Olli, um ônibus elétrico reciclável

Uber entra em guerra contra seus concorrentes