Pesquisa - Casamentos originados em redes sociais são mais estáveis


     Ao contrário do que o Fantástico costuma dizer, relacionamentos online são mais comuns do que se pensa e mais, tendem a ser mais seguros e estáveis. Apenas quando um dá muito errado e a mídia cai matando é que gera aquele sentimento de que namoros virtuais estão fadados ao fracasso e todo mundo por trás da tela é um maníaco ladrão tarado estuprador.
     Nunca estiveram mais longe da verdade. Em estudo recente divulgado pela Universidade da Flórida, após pesquisas realizadas com 19 mil voluntários desde 2005, um terço dos casamentos dos Estados Unidos desde então se originaram em relacionamentos online. Desses quase metade começaram em sites de encontros, poucos deles resultam em divórcios e os casais gozam de uma união mais estável e satisfatória do que relacionamentos “à moda antiga”.
     A princípio poderiam dizer que a pesquisa é inválida pois um dos pesquisadores é conselheiro da eHarmony, site de encontros que encomendou a pesquisa. Entretanto o grupo contratou um estatístico independente para validar o estudo.
     Entre os casais entrevistados que admitiram ter começado o relacionamento pela internet, 45% se conheceram em sites de encontros, 20% através das redes sociais (Facebook e Twitter ainda não são points de azaração, sorry) e 10% em salas de bate-papo (o que você ainda está fazendo no UOL Chat?). E-mail, mensageiros instantâneos e blogs respondem por apenas 3,6% desse total.
     No mundo real os resultados também foram bem fragmentados: casais que se conheceram através de amigos e trabalho mútuos respondem por 20% cada e interações na escola ou sociais, 10% cada.
     Mas por quê isso acontece? Segundo os pesquisadores, a internet ajuda a remover a vergonha que as pessoas sofrem no cara-a-cara. Através da net os confidentes se abrem (epa!) por completo, expondo suas qualidades e defeitos. E aí reside a diferença: sinceridade e cumplicidade, elementos essenciais em qualquer casamento que se preze.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Uber entra em guerra contra seus concorrentes