Afinal, o que é “meia”?


   Para os lusófonos de Angola, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor Leste não é fácil entender o Português tupiniquim. Alguém daqui, por outro lado, poderá argumentar que também encontramos dificuldades para compreender os nativos daqueles países. Sim, elas existem! E o embaraço que provocamos àqueles nossos irmãos é muito maior. Senão, vejamos o que aconteceu na recepção de um salão de convenções em Fortaleza-CE entre o funcionário e um angolano que veio ao Brasil para participar de um congresso:
-- Por favor, eu gostaria de fazer minha inscrição para o congresso.
-- Tem uma palestra agora na sala meia oito.
-- Desculpe-me, qual é a sala?
-- Meia oito
-- Podes escrever?
-- Sim...  Sessenta e oito... Assim, veja: 68.
-- Ah, agora eu entendi! "Meia" é seis.
-- Isso, "meia" é seis! Ah, só mais uma informação: a organização do congresso está cobrando uma pequena taxa para quem quiser adquirir o material - DVD, apostilas... O senhor gostaria de encomendar o seu?
-- E quanto eu tenho que pagar?
-- Dez reais, mas estrangeiros e estudantes pagam meia...
-- Humm... Que bom! Eis os seis reais!
-- Não, o senhor paga meia! São só cinco...
-- Eu pago meia? E são só cinco? Mas como? "Meia" agora é cinco?
-- Isso, "meia" é cinco!
-- Está bem, "meia" é cinco!
-- Senhor, cuidado para não se atrasar! A palestra começa às nove e meia...
-- Então já começou há quinze minutos! São nove e vinte!
-- Não, senhor. Ainda faltam dez minutos... Como eu falei, a palestra só começa às nove e meia.
-- Pois eu pensei que fosse às nove e cinco, pois "meia" agora não é cinco? Tu podes escrever aqui a hora que começa?
-- Nove e meia... Assim, veja: 09 h 30.
-- Ah, mudou! "Meia" é trinta...
-- Isso mesmo! Nove e trinta. "Meia" é trinta. Ah, tem mais uma coisinha, senhor! Eu tenho aqui um folder de um hotel que faz um preço especial para os congressistas... O senhor já está hospedado?
-- Sim, estou na casa de um amigo.
-- Em que bairro?
-- No Trinta Bocas.
-- Trinta Bocas? Não existe esse bairro em Fortaleza (risos)! Não seria Seis Bocas?
-- Sim, é no bairro Meia Boca.
-- Não é meia boca não! É um dos bairros mais nobres da nossa cidade...
-- Cinco Bocas pois?
-- Não!!! Seis, Seis Bocas! Entende? SEIS BOCAS! Chamam assim porque é o encontro de seis ruas... Por isso Seis Bocas, deu para entender?
-- Sim, entendi...
Você acredita que ele entendeu de verdade? Eu não!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Olli, um ônibus elétrico reciclável

Uber entra em guerra contra seus concorrentes