Cafeína: viciante ou não?


     A cafeína é comumente encontrada numa variedade de alimentos e bebidas, incluindo café, chá, refrigerantes e chocolate, sendo amplamente considerada a droga psicoativa mais popular do mundo.
     Mas há alguma discordância sobre se a ingestão regular de cafeína pode levar a um verdadeiro "vício". Algumas pesquisas classificam a substância como aditiva. Por exemplo, um documento de 2010, no Journal for Nurse Practitioners afirma: "A cafeína atende a todos os requisitos para ser uma substância viciante, incluindo a dependência, tolerância e abstinência."
     Por outro lado, a revisão de 2006 no American Journal of Drug Abuse and Alcohol nega o vício de cafeína, apontando que raramente há uma forte compulsão para "consumir" cafeína, ao contrário da cocaína, anfetaminas e outros estimulantes clássicos.
     Na sua quinta e mais recente edição, o Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais (DSM-5), que a Associação Americana de Psiquiatria publica, acrescentou "a retirada da cafeína" pela primeira vez. A intoxicação por cafeína também é listada como um transtorno mental no DSM-5.
     Parar o consumo de cafeína pode causar sintomas de abstinência - incluindo dor de cabeça, fadiga, irritabilidade, humor deprimido e dificuldades de concentração - que são graves o suficiente para interferir com a capacidade de uma pessoa funcionar corretamente em termos laborais ou em situações sociais, de acordo com o manual de saúde mental.
     No entanto, o DSM-5 não inclui a cafeína na sua lista de "transtornos por uso de" (o termo usado para os vícios). Em vez disso, transtorno por uso de cafeína está arquivado sob "Condições para Estudo".

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Olli, um ônibus elétrico reciclável

Uber entra em guerra contra seus concorrentes