2014 foi o ano mais quente registrado


     2014 acabou já faz um mês e, para muita gente, não vai deixar a mínima saudade. A NASA mesmo realizou uma pesquisa que revelou um dado alarmante sobre o ano passado: 2014 teria sido o ano mais quente já registrado!
     O aquecimento global é um fenômeno que muitas pessoas debatem se ocorre ou não, mas o efeito estufa, os gases emanados por inúmeros rebanhos de gado pelo mundo e o buraco na camada de ozônio, todos esses fatores são considerados e desconsiderados por vários especialistas a respeito de seu impacto na vida humana. Mas uma pesquisa realizada pela NASA e outra realizada pela NOAA ( “National Ocean Atmospheric Administration”, ou Administração Nacional da Atmosfera dos Oceanos), mostram como mudanças empíricas na temperatura realmente vem ocorrendo.
     O vídeo abaixo mostra como uma análise das médias de temperatura anuais vem mudando conforme avançamos de ano e, que em 30 anos, a média de temperatura do planeta aumentou em 0,8 graus Celsius (ou 1,4 Fahrenheit). Isso mostra que a Terra está mais quente atualmente do que qualquer outro período em 100 anos e, provavelmente, em mais de cinco mil anos de civilização humana.
     Isso significa que é possível que alguns eventos climáticos como o El Niño e La Niña voltem a diminuir as temperaturas no Pacífico, tanto que, devido a esses efeitos, o aumento de temperatura não é uma constante, mas uma temperatura maior significa que as massas de água evaporam mais, criando mais massas de ar quente, deslocando-se pela atmosfera, criando um número maior de mudanças atmosféricas.
     Tanto a NASA quanto a NOAA estão tentando mostrar que essas mudanças na estrutura do globo coincidem com a curva de população da Terra, bem como o aumento do consumo desenfreado que está cada vez mais presente no dia a dia. A pesquisa joga uma luz neste problema e é importante como indivíduos estarmos cientes do que nosso comportamento está fazendo com nosso planeta.


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Olli, um ônibus elétrico reciclável

Uber entra em guerra contra seus concorrentes