Pin It button on image hover

O Blog do Bega

Sobral, onde a luz fez a curva.

segunda-feira, 21 de julho de 2014

Um fotógrafo contra uma tradição brutal na África


 Por Gilson Lorenti em 16 de julho de 2014

    Essa é uma história bacana que merece ser conhecida, e também nos mostra que fotografia pode ser utilizada para trabalho social. No Vale do Omo, na Etiópia, existe uma tradição entre as tribos chamada de Mingi. Pode parecer um nome estranho que você nunca tenha ouvido falar, mas na verdade se trata de algo sinistro.
     Certas crianças, que nascem fora do casamento ou com alguma anormalidade física, são classificadas como malditas e acusadas de poderem trazer para a tribo desgraças como a fome, seca ou tempestades. Sem hesitar essas crianças são levadas para longe e mortas, geralmente com algum requinte de crueldade. Esses são os Mingi, crianças que podem trazer o mal para a tribo e devem ser eliminadas.
     Lale Labuko, membro da tribo Kara, diz que descobriu o ritual aos 15 anos quando sua mãe lhe contou ter tido um Mingi. Desde então ele tinha como objetivo acabar com o ritual, mas a coisa só começou a tomar forma quando ele encontrou, em 2004 o executivo de software aposentado e fotógrafo John Rowe, que estava visitando a região para fotografar os membros da tribo com suas ricas pinturas corporais. Labuko foi seu guia durante a viagem e, em um certo momento, decidiu contar sobre o costume das tribos da região. Sensibilizado com a situação, Rowe e Labuko iniciaram a Omo Child em 2009 e nesses poucos anos salvaram, alimentaram, vestiram e educaram 40 crianças que estavam condenadas a morrer por apresentar alguma das condições que as classificariam como malditas.
     Embora achemos que o mundo do misticismo seja uma coisa do passado, somente em 2012 os esforços de Labuko conseguiram convencer os anciães da Tribo Kara a proibirem oficialmente a execução das crianças “malditas” e, no último verão, um Rei da tribo Hamer se comprometeu a fazer a mesma coisa. Como a campanha cresceu e ganhou visibilidade, outros parceiros se juntaram na empreitada. Agora eles possuem apoio da National Geographic e o renomado fotógrafo Steve McCurry fez uma viagem para tirar fotos das tribo Omo e ajudar na divulgação da causa.
     Arrisco-me a afirmar que, se procurarmos nos longínquos recantos do mundo, ainda vamos encontrar tradições baseadas em crendices populares bizarras. Como disse Carl Sagan, esse é o mundo assombrado por demônios. A fotografia e o engajamento social podem ajudar a jogar um pouco de luz nessa escuridão toda.
Fonte: Petapixel.










Postar um comentário