O Blog do Bega mostra reportagem antes do Fantástico

    


     Em abril de 2012, um grupo de cientistas americanos derrubou propositadamente um avião de passageiros perto de Mexicali, no México. Um Boeing 727-200 equipado com numerosas câmeras e outros instrumentos de medida de impacto foi jogado ao solo pelos pilotos. O teste foi filmado por redes de televisão.
     Este foi o segundo experimento deste tipo. A NASA já havia feito uma demonstração de impacto controlado em 1984.
     A aeronave usada agora foi um Boeing 727-200, registro XB-MNP. O local escolhido foi o México, já que as autoridades americanas não permitem testes desta natureza em seu território.
     As autoridades mexicanas permitiram o teste, desde que a aeronave fosse pilotada por profissional durante parte do voo, quando passaria por área urbana.
     O voo foi pilotado pelo capitão Bob Slocum  e depois, remotamente por Chip Shanle, um veterano piloto da Marinha Americana que trabalha na American Airlines.
     O avião decolou do Aeroporto Internacional Sánchez Taboada em Mexicali com a tripulação e um grupo de bonecos de teste. Quando o avião se aproximou do Deserto de Baja California, no México, a tripulação saltou de paraquedas em segurança. Shanle guiou a aeronave até jogá-la ao solo.
     O jato chocou-se com o solo a 140mph com uma taxa de descida de 1.500 pés por minuto. Em seguida ao impacto, o Boeing partiu-se em várias seções.
     A conclusão do teste foi: em casos como este, os passageiros da frente da aeronave são os que mais sofrem riscos de fraturas e até morte. Os que ficam perto das asas podem sofrer ferimentos graves mas escapam. Os que ficam próximo à cauda do avião quase não se machucam e podem até sair caminhando. Entretanto, em outros casos, quando a cauda toca o solo primeiro, o reverso pode acontecer.





Assista ao vídeo:


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Uber entra em guerra contra seus concorrentes