Pesquisadores criam lentes de contato com zoom


     Lentes de contato foram inventadas para corrigir problemas como miopia ou para mudar artificialmente a cor dos olhos, por exemplo. Mas, e se você pudesse ter lentes de contato capazes de dar zoom e aumentar o alcance da sua visão, tal como é possível com as câmeras? Pois saiba que, por mais que a ideia pareça surreal, já há gente trabalhando nisso.
     Um grupo de pesquisadores dos Estados Unidos apresentou recentemente um trabalho referente a lentes que podem fazer aproximação do campo de visão em um nível equivalente ao zoom óptico de 2,8x de uma câmera DSLR com objetiva de 100 mm. O interessante é que eles conseguiram este feito em lentes com espessura de 1,17 mm – na fase inicial da pesquisa, as lentes tinham a inviável grossura de 4,4 mm.
     E como estas lentes funcionam? De maneira bastante complexa, como você já deve ter presumido, mas é possível compreender as suas características essenciais: basicamente, a luz da informação visual a ser ampliada passa pelas bordas das lentes e é capturada por minúsculos espelhos de alumínio existentes nelas; estes espelhos funcionam de maneira conjunta para dar zoom e refletem a luz em até quatro feixes que são, por fim, direcionados aos olhos.
     A luz, precisamente falando, vai parar na borda das retinas e o cérebro interpreta a imagem como se, de fato, a pessoa estivesse próxima do objeto, ou seja, o indivíduo não tem, necessariamente, a sensação de estar vendo uma imagem ampliada.
     De acordo com os pesquisadores, a qualidade da imagem tende a ser muito boa. Isso é possível porque, além de efetuar o zoom em si, o sistema de espelhos tem outra função importante: corrigir os efeitos de “aberração cromática”, que podem dar um aspecto bastante desagradável à imagem.
     Para que a pessoa possa alternar entre visão normal e ampliada, os pesquisadores aplicaram um filtro polarizador na parte central das lentes – esta é “normal”, ou seja, não possui qualquer mecanismo de zoom. O usuário deve então colocar óculos para TV 3D adaptados; por meio do filtro, as lentes identificam o estado de polarização determinado para os óculos e mudam seu modo de funcionamento de maneira correspondente.
     Na verdade este projeto visa uma causa muito nobre: melhorar a qualidade de vida das pessoas que sofrem de degeneração macular.
     Esta enfermidade é resultado de alterações na mácula – a parte central da retina – que acabam fazendo com que o indivíduo perca a visão progressivamente. Por afetar justamente este ponto, a pessoa passa então a enxergar somente pelas “bordas” do seu campo de visão.
      Acontece que as áreas periféricas não são tão boas quanto a parte central dos olhos na identificação de detalhes. Com o zoom aplicado pelas lentes, a pessoa passa então a ter um nível de definição maior nas laterais, conseguindo distinguir informações que, pela natureza destas regiões, até então não seria possível, como letras pequenas em uma revista, por exemplo.
     O projeto ainda está em fase experimental, portanto, não há qualquer previsão precisa no que diz respeito a quando e se estas lentes chegarão ao mercado. Mas é sempre bom ver ideias inusitadas sendo trabalhadas para finalidades tão importantes.


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Uber entra em guerra contra seus concorrentes