Pin It button on image hover

O Blog do Bega

Sobral, onde a luz fez a curva.

quinta-feira, 27 de dezembro de 2012

Qual mídia é mais segura? CD, DVD ou Pendrive?


     A informação também tem um ciclo de vida, e é importante que você saiba disso. Tudo depende, na realidade, em qual dispositivo você costuma guardá-la. Nem sempre é fácil manter alguns desses dispositivos nas condições ideais para que ele sobreviva ao tempo.
     Você já deve ter visto esse filme antes: um CD cheio de informações importantes que é riscado pelo sobrinho de oito anos. Ou, naquele dia de muito calor e clima seco, o pó e o tempo fizeram com que ele não lesse mais seus arquivos.
     O CD, por exemplo, está entre alguns dispositivos comumente usados para armazenamento. Mesmo sendo obsoletos para guardar a sua vida digital, muitas pessoas ainda usam esse recurso. Agora, falaremos dele, do DVD e do pendrive, apenas para dar uma noção sobre quanto tempo dura a informação em cada um deles.
     Sobre o CD e o DVD, um estudo do Laboratório de Informação Tecnológica do Instituto Nacional de Padrão e Tecnologia dos EUA afirma que fabricantes fazem testes com os discos usando metodologias de envelhecimento acelerado, a partir do controle de temperaturas e umidade extremas em um período de tempo relativamente curto. “No entanto, nem sempre é claro como um fabricante interpreta suas medições para determinar o fim do ciclo de vida útil de um disco”, diz o texto do laboratório.
     CD-R, DVD-R e DVD+R têm expectativa de vida de 100 a 200 anos ou mais nas condições recomendadas de armazenamento.
     Já CD-RW, DVD-RW, DVD + RW e DVD-RAM têm expectativa de vida de 25 anos ou mais.
     A expectativa de vida do CD-ROM e do DVD-ROM varia entre 20 e 100 anos – a variação é tão grande porque não existem muitas informações na indústria sobre esses dispositivos, diz o Laboratório.
     Claro que todas essas estimativas levam em consideração que os discos foram guardados nas condições recomendadas de armazenamento – ou seja, manusear os discos pela borda externa ou do orifício central, sem tocar a superfície do disco, armazenar discos horizontalmente por um longo período de tempo (anos), arranhar a superfície, dentre outras ações que ajudam na conservação. Porque, como já dissemos lá em cima e você bem sabe: se o CD riscou, já era.
     Já o pendrive, cujo armazenamento é feito em memória flash, tem tempo de vida estimado entre cinco e dez anos, baseado na garantia dada pelas fabricantes. Na realidade, calcula-se que a vida útil da memória flash seja de 100 mil ciclos (ou seja, cada cluster pode ser gravado 100 mil vezes, no máximo).
     Lembrando que, no pendrive, o melhor uso é para arquivos de foto, músicas e vídeos, que são apenas informações a serem lidas e que não desgastam o armazenamento. E, claro, conservar o seu pendrive também conta muitos pontos – nada adianta se você largá-lo na mochila ou conectá-lo em um computador que possa passar vírus para os seus arquivos.
Postar um comentário