Pin It button on image hover

O Blog do Bega

Sobral, onde a luz fez a curva.

quarta-feira, 15 de julho de 2015

Beamforming, a tecnologia que vai turbinar a sua rede Wi-Fi


       Tecnologia embutida nos roteadores mais modernos, o beamforming promete melhorar a transmissão de dados e o alcance da rede Wi-Fi. Saiba como funciona e veja se vale a pena comprar um roteador com a tecnologia.
     Antes de entender o beamforming é preciso detalhar como funciona os roteadores. As antenas omnidirecionais dos roteadores comuns funcionam irradiando o sinal Wi-Fi de forma igual para todos os lados. Na prática, isso quer dizer todos os dispositivos que estiverem no raio de alcance do sinal vai conseguir trocar informações com o roteador.
     O beamforming age de uma forma diferente, focando o sinal em uma direção específica, onde um ou mais dispositivos estão conectados. Com isso, a transmissão entre smartphone e o roteador, por exemplo, tem uma qualidade melhor, menos suscetível a interferências e com alcance ampliado.
     A TP-Link explica o beamforming com uma analogia entre uma lâmpada e um laser. A lâmpada seria o roteador comum, onde ilumina para todos os lados; e o laser, o roteador com beamforming onde concentra o sinal para onde os dispositivos estão conectados.
     O beamforming surgiu como parte do protocolo 802.11n. Entretanto, apesar de promissora, a tecnologia não se tornou popular, principalmente por não ter um padrão. Isso fez com que cada fabricante criasse uma especificação diferente e não garantisse a compatibilidade com alguns dispositivos, mesmo que eles ‘teoricamente’ tivessem beamforming.
     Isso foi aprimorado no protocolo 802.11ac. Nem todos os roteadores AC possuem o beamforming, mas aqueles que têm devem seguir os requisitos obrigatórios definidos pelo IEEE. Isso garante a compatibilidade com os aparelhos que têm a tecnologia.
     A princípio, para usufruir da máxima capacidade do beamforming é necessário que o aparelho receptor (smartphone, TV, notebook etc) também seja compatível – vale lembrar que mesmo sem ser compatível eles se conectarão normalmente à rede. Por isso, antes de investir em um roteador com a tecnologia, vale fazer uma pesquisa no site da fabricante dos gadgets que serão usados.
     Algumas fabricantes desenvolveram tecnologias própria para garantir que mesmo um dispositivo não especificado com beamforming utilize a tecnologia, como é o caso da Beamforming+, da Netgear e do SmartBeam, da D-Link.
Postar um comentário