Operadoras bloquearão celulares piratas em 2014


     Não é de hoje que diversos órgãos públicos e  as principais operadoras do Brasil querem bloquear o uso de celulares piratas na rede. Elas já falam nisso há mais de dois anos, mas foi no ano passado elas foram além e tomaram atitudes para agilizar isso.
     Agora eles parecem ter conseguido o OK da Anatel, que publicou uma nova norma que permite que as prestadoras façam esse bloqueio. A medida já começa a valer no inicio do ano que vem, mas ainda não se sabe exatamente como esse bloqueio será feito.
     Qualquer aparelho eletrônico que tenha a tecnologia celular vem acompanhado de um numero IMEI, que é como um CPF para o aparelho, esse numero é único, e é enviado para a operadora para que haja autenticação na rede. Hoje nós temos um sistema em que quando perdemos a posse de um aparelho possamos fazer o bloqueio para que o mesmo não seja autenticado na rede de nenhuma operadora, fazendo com que ele vire um verdadeiro peso de papel e o assaltante passe muita raiva. O bloqueio de celulares piratas deverá ser feito por esse número, mas isso pode gerar alguns problemas.
     Para ser comercializado no Brasil, todo celular deve passar pele homologação da Anatel, e é nesse processo que ela colhe dos fabricantes os IMEIs que serão usados naquele modelo para formar um banco de dados, então, aparelhos que ainda não passaram pela homologação podem acabar sendo bloqueados, mesmo sendo um aparelho original e isso pode dificultar a vida de quem vai para o exterior comprar um iPhone no lançamento, ou em uma viagem resolve comprar um HTC novo que não vai mais vir para o Brasil, logo não passará pela Anatel. É bom lembrar também que o Brasil tende a receber muitos turistas nos próximos anos e grande parte deles não usam um modelo de celular comercializado por aqui, o que pode acabar impossibilitando-o  de comprar um chip de uma operadora nacional para usar enquanto estiver aqui.
     Ainda não se sabe como esses problemas serão contornados, mas eu acredito que a Anatel já tenha em mente alguma solução (talvez acordos internacionais para a formação do banco de dados) visto que ela já está sabendo que estrangeiros também querem usar nossas operadoras enquanto estão por aqui. Ficará responsável pelo banco de dados dos IMEIs a ABR Telecom, que é a mesma entidade que cuida da portabilidade numérica, que ao menos comigo, sempre funcionou muito bem.
     Estima-se que cerca de 20% do total de linhas ativas no Brasil estejam usando um celular pirata. A retirada desses aparelhos da rede das operadoras pode resultar em uma melhoria na qualidade do serviço prestado, uma vez que esses aparelhos não foram devidamente testados e são feitos com componentes de baixa qualidade, o que pode comprometer toda a infraestrutura e prejudicar todos os usuários.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Olli, um ônibus elétrico reciclável