Conheça Victor Noir, um símbolo de fertilidade


    O cemitério de Père Lachaise, em Paris, contém túmulos de muitas pessoas famosas, incluindo Oscar Wilde e Jim Morrison. Uma pessoa que talvez você nunca tenha ouvido falar é de Victor Noir. De fato é o seu monumento, ao invés da sua memória, que atrai as pessoas para o seu lugar de descanso final e por razões que você não pode, de cara, associar a um cemitério.


     Você já deve ter notado na foto que grande parte do seu rosto é coberta pelo familiar cinza-esverdeado de bronze oxidado, que você esperaria de um monumento que data de 1891 (Noir morreu em 1870). No entanto, os lábios e o nariz são inexplicavelmente brilhantes. É que a boca e o nariz de Victor Noir são regularmente acariciados e beijados. No entanto, a grande quantidade de mulheres que visitam sua lápide tem mais do que o rosto de Victor em mente quando a visitam. Apesar de ter apenas um pequeno vestígio de um sorriso em seus lábios, Victor Noir oferece às mulheres, ao que parece, muito prazer em vê-lo.
     A escultura de bronze tem uma saliência muito perceptível em destaque nas  calças. Seja ou não, este é um reflexo da reputação de Victor, enquanto vivo que certamente lhe proporcionou uma escultura post mortem. O monumento de Victor tornou-se um dos símbolos mais incomuns de fertilidade na França.


     Acredita-se que, se a mulher beijar na boca de Victor e depois esfregar a protuberância das suas calças, em seguida, a sua fertilidade será muito reforçada e que um bebê virá logo em seguida (a obtenção da qual, segundo a lenda, será ainda mais feliz do que o habitual). Solteiras em busca de um homem não precisam se ​​preocupar tanto: Um esfregado furtivo, mas amigável com Monsieur Noir vai garantir um marido dentro do ano. E parece que muitas mulheres acreditam na história.
     Há, evidentemente, um pagamento. Cada visitante à tumba de Victor deve colocar uma flor no chapéu ou em sua mão para lhe agradecer a sua vez. A escultura, que retrata Victor propenso, o chapéu caído no chão, dá uma pista para a forma em que a morte o levou.
     Victor Noir foi um jornalista político francês durante a época do regime bonapartista Imperial de Napoleão III (que durou de 1852-1870). O editor do jornal tinha sido desafiado para um duelo pelo príncipe Pierre Bonaparte após a publicação de um artigo que foi bastante depreciativa sobre o tio do príncipe, Napoleão Bonaparte. O príncipe Pierre desafiou o editor, Pascoal Grousset, para um duelo, apesar do fato de que seu tio-avô já ter morrido há quase cinquenta anos.


     Grousset aceitou e mandou seus assistentes (um dos quais era Noir) para marcar o dia e a hora do duelo com o príncipe Pierre que, em seguida, após uma discussão, despachou Victor Noir para a melhor. A verdade sobre o que exatamente causou a discussão nunca foi totalmente descoberta, mas os tribunais concordaram com o príncipe, aceitando a sua história que Noir tinha se ofendido ao ser chamado de lacaio do Grousset e havia atingido o príncipe, após o qual, é claro, ele foi deixado sem nenhuma outra escolha a não ser matá-lo na rua.
     Mais de 100.000 pessoas compareceram ao funeral de Noir e sua morte levou muitos republicanos para uma reação contra o regime do Imperador. Houve violência nas ruas de várias cidades francesas, e uma Constituição mais liberal foi rapidamente votada em plebiscito, e um derramamento de sangue foi evitado.


     O corpo de Noir foi trasladado para o Cemitério Père Lachaise 21 anos após sua morte e o monumento que vemos aqui foi erguido. Desde então, sua lápide tornou-se uma das mais visitadas do cemitério. Para manter seu rosto, virilha e pés tão brilhantes e limpos estima-se que milhares de mulheres tenham cavalgado clandestinamente no topo de sua forma reclinada de bronze.
     Dalou, o escultor, talvez tenha errado em retratar apenas uma cintilação de sorriso no rosto de Victor Noir: um sorriso maroto talvez fosse mais apropriado.



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Olli, um ônibus elétrico reciclável